quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

A primeira vez

PERGUNTA:
Eu sou ainda virgem, mas não por falta de oportunidade, já por algumas vezes (4) que tenho a oportunidade de fazer amor com a minha namorada e tudo corre bem... Até à hora H, onde simplesmente perco a erecção por completo, puff... Vai-se, é só chegar a altura de meter o preservativo, chego a metê-lo e depois pimba, não há nada para ninguém...
(Que faço?) não sei o que se passa comigo, eu amo a minha namorada, ela diz que não faz mal, deve acontecer a muitos, mas não acredito que ela não esteja já um pouco farta da situação e eu começo a duvidar das minhas capacidades de homem, da minha virilidade, coisas destas só devem acontecer a velhos de 70 anos, ou nem a esses... QUE FAÇO? Começo a ficar "desesperado" com esta situação, não sei se tem a ver com nervos, se tem a ver seja com o que for... Mas ajudem-me, esta treta já me fez chorar, coisa que não acontecia há muitos e bons anos!!!
Ajudem-me por favor, um conselho, uma dica, qualquer coisa que me ajude a resolver esta situação eu agradeço...! Obrigado pela vossa atenção.


RESPOSTA:
Muito directamente: estás a entrar cada vez mais em parafuso de cada vez que te angustias com a situação. Se continuares a focar dessa maneira a tua atenção na falha, nunca vais conseguir mais nada senão desesperares e achares que não és capaz.

Tenta ver as coisas assim: Tu és uma pessoa que está a ser vítima da pressão social (que está muito presente na tua cabeça) para toda aquela imagem da primeira vez perfeita, e do papel dominante do rapaz nessa primeira vez. Estás preocupadíssimo com o teu desempenho. É normal. Olha que problemas de falta de erecção e de "é tão bom, não foi?" há para aí às carradas (e não é preciso ter 70 anos).

Sabes, praticar sexo é como quase tudo na vida: quanto mais se "treina" melhor fica e melhor é. Antes de saberes escrever bem, começaste por desenhar letras; antes de andar de bicicleta, andavas aos tombos. A primeira vez (de tudo) nunca se sabe bem como se faz e como é.
Com o sexo é o mesmo.

Parece-me que tens uma namorada às direitas, que não se importa com uma coisa que É NORMAL! Se perdes a erecção depois de pores o preservativo (rapaz sensato!), é porque é nesse momento (antes da penetração - que tu vês como o teu exame final) que não tens confiança em ti.

Se és carinhoso, brincas, acaricias e beijas sem dramas (acho) é porque NÃO ESTÁS com medo de falhar nisso. Também beijaste uma primeira vez, certo? E outra, e outra...
A primeira vez NEM SEMPRE é uma boa (muitas vezes NÃO É, por que é o início de uma aprendizagem).

Será que tens medo de algo mais? Que ela, apesar de tudo engravide? Que vocês acabem e que venhas a ter problemas? Se é isso, tens de resolver essas questões antes. Olha que o preservativo é um método muito seguro.

Resumindo:
1 - Se não tens dúvidas de que queres ter relações com ela.
2 - Se não tens outros medos.
3 - Se tens confiança em ti.
Dá-te uma chance de o provares. Vai com calma, deixa as coisas acontecerem.
1 - NÃO COMECES a pensar em falhas quando colocas o preservativo.
2 - Pensa: "Eu amo-te, eu quero-te. Eu vou dar o meu melhor e vou SER EU, o melhor que sei - EU, que quero ser melhor e ser bom para ti."
3 - Baixa as expectativas. Pode não ser uma primeira vez fabulosa, mas é o princípio de muitas vezes cada vez melhores!
4 - Depois de colocares o preservativo não tentes logo a penetração, faz mais umas carícias, uns beijos, retoma a confiança (e a erecção).

TEM CONFIANÇA EM TI (em vocês) E BAIXA AS EXPECTATIVAS.
Tudo de bom!

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog