terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Monotonia na relação

PERGUNTA:
Em primeiro lugar gostava de dar os parabéns pelo site excelente que vocês tem. Agora o que eu gostava de partilhar convosco não é bem uma dúvida sexual, bem aqui vai. Eu namoro com um rapaz há quase 3 anos. A nossa relação ao príncipio era maravilhosa, sentia que ele gostava de mim, mas há uns tempos para cá a nossa relação tem vindo a torna-se demasiado monótona. Ele parece que se habituou a mim, por vezes tenho imensas dúvidas se ele ainda gosta de mim, por vezes parece que está farto de mim. Eu pergunto-lhe se está tudo bem, se ainda me ama, ele diz que sim mas as suas acções demonstram o contrário. E ainda para mais discutimos por tudo e por nada. Eu gostava de saber se uma relação assim é normal (é a primeira vez que tenho uma relão de longa duração). Há alguma coisa que eu possa fazer para acender novamente aquela "chama"!? Gostava de saber a vossa opinião!

RESPOSTA:
Sabes, pode acontecer que haja uma saturação na vossa relação. Mesmo que ele não o admita, as pessoas sentem essas coisas, sentem quando tudo está bem e quando não está.

Tenta pensar na resposta a estas perguntas:
1. Vocês andam a discutir mais, porquê?
2. Por que é que antes não discutiam?
3. Os assuntos complicados ainda não tinham sido falados ou agora discutem por "ninharias"?
4. Será que a tua reacção à indiferença dele é criar discussão para obteres uma reacção dele?
5. Ele também começa discussões?
6. Vocês têm falado sobre o que gostam ou não gostam ou caíram na rotina do namoro?
7. Ele tem a sua margem de liberdade? E tu, tens a tua?
8. O que é que havia entre vocês de especial que agora está adormecido?
9. Acomodaram-se um ao outro?
10. Respeitam-se?
11. Tentam agradar ao outro?
12. O que sentem quando estão separados? Alívio ou saudades?

E como estas perguntas podia haver muitas mais... Se calhar este e-mail era bom para os dois analisarem o que se está a passar.
Se calhar ele ainda não percebeu como as mudanças na sua atitude e na vossa relação a estão a afectar. E tu também não, pois também mudaste, de certeza..

. Conversem abertamente sobre o que sentem.
Pode ser que vejam pontos em que mudaram e que podem voltar a mudar para corrigir a situação. Ou podem ver que no fundo há diferenças de maneira de ser e de projecto de vida que vão fazer a relação falhar - e aí é melhor que acabe já.

Mas não vejam a coisa pelo lado negativo. Franqueza, abertura, diálogo e espírito construtivo é o que vos faz falta. E humildade e coragem para mudar o que for preciso.

Boa sorte!

domingo, 29 de janeiro de 2012

Namoro "virtual"

PERGUNTA
Gosto de um rapaz da minha escola há cerca de 1 mês... Foi um amigo meu que mo apresentou, mas nunca consegui falar com ele na escola... Começámos a falar pela net e ele parecia estar interessado em mim e várias vezes me falou em sairmos. O problema é que ele na altura de sair "corta-se" sempre e acabamos por nunca estar juntos! O problema é que ele parece estar a perder aquele interesse que tinha por mim ao princípio! O que devo fazer?! Ajudem-me...

RESPOSTA:
Há uma coisa importante que parece não ter existido ainda entre vocês: contacto.
Segundo o que escreves, tu foste-lhe apresentada e contactaste com ele só pela net e nada mais.Que afecto sólido ou gostar de alguém é que se pode desenvolver só assim?

Tu gostas mesmo dele com base em quê? No que ele te escreve nos e-mails? Desenvolveste afecto por um écrã? E saírem? Dizes que ele fala nisso mas depois corta-se... Por que será?

Será que ele apenas comunica contigo porque achava divertido, sem nenhum interesse mais forte? O que parece é que o contrário se desenvolveu em ti...

No nosso ponto de vista devias "deixar cair" o assunto, ou então, conversando com ele cara a cara, definirem em que ponto é que as coisas (quais coisas?) estão.
Ele gosta de ti ou só de te mandar e-mails? És apenas alguém que ele conhece ou és algo mais?
Vocês nunca falaram!!!

Não achas um sinal forte de desinteresse ele nunca ter saído contigo e estar a querer "saltar fora"? Se calhar o melhor é deixá-lo saltar. Se algum dia houver algo mais, há-de acontecer naturalmente e aos dois.

Um afecto que não existe das duas partes nunca leva a lado nenhum...
Tudo de bom.

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Masturbação no masculino

PERGUNTA:
Quando me masturbo, na altura daquela sensação, por vezes no local onde me encontro não estou com a disponibilidade de largar o esperma e por isso faço alguma pressão para ele não sair (não muita, a suficiente). Isto não me trará algumas consequências no futuro ou é normal?...Gostava de uma opinião e algumas dicas.

RESPOSTA:
O que nos contas não te vai trazer problemas, mas é preferível conteres-te quando estás excitado em má altura e depois, quando e onde for adequado, masturbares-te normalmente.
O que nos contas é 100% normal.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Masturbação e crianças

PERGUNTA:
Já apanhei o meu filho de 8 anos a masturbar-se.... Ele não é muito novo para isso? Mesmo tendo uma boa relação boa com ele, confesso que quando o assunto é sexo fico sem saber o que fazer.

RESPOSTA:
Masturbação é o nome que se dá à manipulação dos órgãos sexuais, por vontade própria, para obter prazer. Há muita desinformação sobre este assunto. Muita gente diz que "vicia", que provoca doenças ou ainda que a pessoa que se masturba pode perder o interesse pelo sexo. Hoje sabemos que a masturbação não causa qualquer doença. Ela faz parte do desenvolvimento da sexualidade de todos nós. E mais ainda: permite que cada um descubra o seu próprio corpo e o que lhe dá prazer.

Não é pelo facto de uma pessoa se masturbar que vai perder o interesse pelo sexo ou ficar "viciada". A maioria de homens e mulheres se masturba e não tem problemas por isso. Homens e mulheres que se masturbam, mesmo sendo casados, conhecem o próprio corpo bem melhor do que outros que nunca vivenciaram essa experiência. Com isso, a possibilidade de terem uma vida sexual mais recompensante será bem melhor.

É bom lembrar que a masturbação não é um comportamento exclusivo dos solteiros. Boa parte de casais masturba-se como uma forma de lidar com o desejo sexual diferente de cada um. E não há nada de errado nisso. Ou então masturbam-se simultaneamente, tentando proporcionar um ao outro boas sensações.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Masturbação contínua

PERGUNTA:
Um amigo meu disse-me que a masturbação deve perder o ritmo ao longo do tempo. Eu cada vez me masturbo mais. Será que "não morremos do mal e morremos da cura" ?

RESPOSTA:
Não é bem como diz o teu amigo: se te masturbas cada vez mais é porque é uma prática que te traz muito prazer.
Se, por acaso encontrares alguém com quem possas ter relações ditas "normais", é natural que reduzas as vezes que te masturbas e procures outras fontes de prazer a dois.
Reduzir a masturbação ao longo do tempo também acontece, mas deve-se sobretudo ao reduzir-se o prazer que a própria pessoa experiencia com isso.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Mamilos invertidos

PERGUNTA:
Olá. Tenho 15 anos e estou a escrever porque ando aflita com uma coisa: os meus mamilos estão invertidos. Olho-me ao espelho e fico sem saber o que fazer, e ao mesmo tempo preocupada. Vi numa revista o anúncio de um produto que cura. O que me pode dizer sobre o assunto?

RESPOSTA:
Olá, também. Obrigado pela carta, mas não precisas de ficar preocupada. Não há razão para que estejas aflita, e diz o mesmo ao teu namorado. Quando chegar altura de teres um bebé e dar de mamar vais ver que as coisas se alteram. E, se queres um conselho, desconfia sempre desses anúncios de produtos que curam tudo e, geralmente, também nos "limpam" a carteira...

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Leite materno

PERGUNTA:
Olá. Eu gostava de saber quando se amamenta um bébé, para o leite da mama ser saudável, o que devemos comer e não comer? Adeus! Um abraço.

RESPOSTA:
A mãe, quando amamenta, deve comer de tudo normalmente, como faria se não estivesse a amamentar.
No entanto, são de evitar alimentos de sabor forte como, por exemplo a cebola (crua), porque esses sabores mais fortes "passam" para o leite...
De resto, o corpo da mãe vai "transformar" o que faz falta ao bebé, o que é melhor para ele e o que lhe é preciso em leite.

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Ida ao(à) ginecologista

PERGUNTA:
Quando vou à ginecologista, o que é que ela me faz?

RESPOSTA:
Basicamente, a ginecologista (ou o ginecologista) vai fazer-te algumas perguntas (às quais deves responder sinceramente) e vai observar-te o corpo: observa (com palpação) os teus seios e, se já não fores virgem, observa a tua vagina com um aparelho especial, mas NÃO DÓI. É só mesmo para ver lá dentro.

Se ainda fores virgem, observa-te também, mas sem lá "mexer"... Ou seja, uma ida ao ginecologista não provoca a perda da virgindade; contribui, isso sim, para que a saúde da mulher seja protegida no seu todo.

domingo, 15 de janeiro de 2012

Homossexualidade

PERGUNTA
Devo contar que sou homossexual?


RESPOSTA

Antes de tudo, é muito importante que tenhas a certeza absoluta da tua homossexualidade antes de "sair do armário". Se ainda te debates com sentimentos de culpa e atravessas períodos de depressão, deves esperar antes de assumir a tua homossexualidade perante alguém.

Antes de tomares essa atitude, recomendamos que contes com um(a) amigo(a) e/ou namorado(a) que te possa apoiar se a conversa com os teus pais (por exemplo) não correr bem (pelo menos nos primeiros tempos) e decidires sair de casa.

Sugerimos ainda que estejas atento(a) ao estado emocional das pessoas com as quais irás comunicar: pessoas que lutam com os seus próprios problemas estarão menos disponíveis para apoiar outras. Se assim for, espera um pouco. Nesta ocasião (como em muitas outras) a paciência é uma qualidade preciosa e que será também necessária, em largas doses, após teres falado sobre a tua opção sexual às pessoas que te rodeiam... A verdade é que a maior parte das pessoas leva algum tempo (por vezes, anos) a assimilar e/ou aceitar o facto.

Procura obter informação rigorosa sobre o significado e implicações da homossexualidade. Quem está bem informado está preparado para informar e para esclarecer ideias feitas que, muitas vezes, não são cem por cento verdadeiras.

Acima de tudo, pensa que ser homossexual é algo que faz parte da pessoa que és, logo, assumir aquilo que realmente somos não é (nem nunca foi) um pecado.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Gravidez: os testes são fiáveis?

Pergunta:
É o seguinte... eu e a minha companheira tivemos relações, no entanto estamos com dúvidas, se ela estará grávida ou não! Ela fez o teste de gravidez e o resultado foi negativo para nossa felicidade; no entanto estou preocupado se realmente ela está ou não grávida... o teste de gravidez com base na urina é fiável? É essa a minha questão.

Resposta:
Sim, os testes de gravidez pela urina são fiáveis. Tem a ver com o aumento de níveis de estrogénio (uma hormona) que também se detectam na urina.
Normalmente confirmam-se os testes (se derem positivo) com testes sanguíneos. Se leres com atenção a literatura que acompanha a própria embalagem do teste verificarás que esta esclarece já parte das dúvidas.

Já agora, não corram mais riscos. Usem o preservativo ou ela (se a vossa relação é estável e não têm doenças sexualmente transmissíveis) pode tomar a pílula... Tenham cuidado, porque são decisões difíceis...

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Gravidez e masturbação com objectos

PERGUNTA:
Masturbo-me com frequência com objectos de casa de banho (champôs, escovas...), mas partilho a casa de banho com outras pessoas (homens e mulheres) e, certas vezes, após um homem tomar duche, tomo eu e masturbo-me. Será que é possivel eu estar grávida se estiverem restos de esperma nos objectos com que me masturbo? Eu lavo-os sempre. Nunca há penetração. Pergunto isto porque tenho sentido enjoos e a barriga parece inchada. Por favor ajudem, tenho apenas 14 anos!

RESPOSTA:
Tal como já tivémos oportunidade de dizer anteriormente, para que um espermatozóide chegue ao útero, tem de percorrer um longo percurso. Os espermatozóides que possam ainda estar nos objectos que mencionas, além de estarem mais mortos que vivos, provavelmente já não têm energia para atingir o seu objectivo.
Se lavas tão bem os objectos com que te masturbas (o que é bom, não especificamente por causa do esperma mas porque poderas contrair uma infecção urinária, por exemplo), é pouco provável que fiquem restos de esperma. E se não há penetração (e não há pénis) tu ficares grávida é praticamente impossível.
O teu mal-estar pode ter a ver com o período. Sugerimos que consultes a(o) teu(ua) ginecologista.

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Gravidez

PERGUNTA:
Em que fase é menos provável uma rapariga engravidar?

RESPOSTA:
Quanto à pergunta colocada, vamos um pouco mais longe, pelo que agradecemos que leias a informação que a seguir fornecemos.

Uma mulher pode ficar grávida na primeira vezque tem relações sexuais? SIM. Se a mulher estiver no seu período fértil, pode sempre engravidar, seja qual for o número de vezes que já tenha tido (ou não) relações sexuais.

Uma mulher pode ficar grávida sem nunca ter sido penetrada? SIM. Se o rapaz ejacular perto da vulva, há a possibilidade do sémen se introduzir na vagina. E, nesse caso, há também a possibilidade da rapariga ficar grávida e ser virgem simultaneamente.

Quanto tempo sobrevivem os espermatozóides dentro do corpo da mulher? Resumindo: mantêm a sua mobilidade por três dias.

É verdade que o coito interrompido NÃO é um método eficaz para evitar uma gravidez? Sim. Quando o pénis fica erecto, começa a lançar pequenas quantidades de um líquido lubrificante que pode conter espermatozóides. Por isso, mesmo que o rapaz ejacule fora da vagina, a rapariga pode engravidar se estiver no seu período fértil. Há que tomar precauções.

Qual é o período fértil da mulher?
É aquele em que o óvulo está maduro e aguarda o espermatozóide para o fecundar. O período fértil da mulher pode alterar-se com a interferência da temperatura, de doenças e do estado emocional, portanto, não deve ser usado isoladamente como método contraceptivo pois o RISCO DE ENGRAVIDAR É MUITO ELEVADO.

Portanto:
Se estás a pensar em ter relações evitando o preservativo e de forma a que não haja gravidez, NÃO ARRISQUES! Ao menos garante que ela toma pílula ou tem outro método anticonceptivo. Não ponhas o futuro de três pessoas em causa, sobretudo quando uma das pessoas em causa não teve poder de decidir.

sábado, 7 de janeiro de 2012

Gosto/Não gosto/Talvez goste

PERGUNTA:
Eu gosto muito de 1 rapaz ou melhor amo. Já namorámos só que ele acabou comigo. Nas férias ele mandou-me 1 mensagem a dizer que me amava, e eu disse-lhe que tinha de me dar 1 prova e ele perguntou se era fazer amor eu disse que talvez, e no dia seguinte perguntei-lhe se era verdade o que ele tinha dito, e ele disse que ?tava bêbado. E eu perguntei se ele tb estava bebado quando me disse que gostava de mim e ele disse que ja não gostava.
No início das aulas ele e eu curtimos mas eu andava no Desporto Escolar e foi aos nacionais e acabamos quando vim. Soube que ele gostava de 1 rapariga parecida comigo, e pediu-me ajuda ela tinha me dito que não gostava dele e eu disse-lhe que ela não gostava dele mas mesmo assim eles namoraram durante dois, e acabaram. E ele disse que já não gostava dela e nesse dia curtiu comigo, mas no dia seguinte começou a curtir com ela. No último dias de aulas ele despediu-se dela com 1 bate-chapas E de mim com 1 linguado. Há alguma diferença? O que hei-de fazer? Gosto mesmo muito dele.... Respondam muito rápido por favor; é muito importante....

RESPOSTA:
Nós sentimos que aí nas tuas relações há ainda muita "verdura" e muita confusão...
Vocês ainda não sabem se gostam mesmo ou não, se só querem curtir ou não, se querem qualquer coisa de mais sério...

Enquanto estiveres na fase de "gosto/não gosto/ não sei se gosto/ será que ele gosta?" dificilmente te vais encontrar. A solução é falares claro do que queres e sentes com ele (se ele tiver maturidade suficiente para isso...) e de dares tempo para as pessoas (e tu) se definirem.
Repara que uma relação só dá certo se os dois gostarem mesmo um do outro.
Se fores só tu a gostar a sério dele, isso não vai dar em nada e tu acabas magoada quase de certeza...

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Fraquinho pelo professor

PERGUNTA:
É normal que por volta dos 13, 14 anos se tenha uma paixão (ou não se sabe bem o que se sente), em relação a um stor de natação (25 anos)??? é o que esta a acontecer comigo... ando muito preocupada, não sei o que fazer para o esquecer...


RESPOSTA: Essas paixões fazem parte do crescimento e são normais. Só não deves deixar que se transformem em obsessão.

Esse professor (como verás mais tarde se estudares um bocado de Psicologia) simboliza várias coisas que se consideram importantes e positivas: maturidade, aspecto físico, segurança, e mais umas coisas...
Admira-o, se quiseres, como se admira um artista ou um jogador que se gosta de ver jogar, mas impede-te de "avançar" mais. Afectivamente não resulta e só dá para te magoares com o assunto.
E acredita que com o tempo, passa.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

Estarei grávida?

PERGUNTA:
Tive relações com o meu namorado em junho e usámos preservativo. O período apareceu certo nesse mês e no de Julho, mas no mês de Agosto não apareceu e não apareceu até agora. Posso estar grávida?

RESPOSTA:
Se desde que te veio pela última vez o período (em Julho) NÃO tiveste mais relações, NÃO podes estar grávida e talvez seja apenas um atraso.

Se tiveste relações (não protegidas) desde a última vez que te veio o periodo, PODES estar grávida. Cada vez que vier o período significa que o óvulo não foi fecundado (não estás grávida), mas todos os meses, após esse momento, se tiveres relações não protegidas voltas a poder engravidar.

domingo, 1 de janeiro de 2012

É possível engravidar com o período?

PERGUNTA:
Gostaria de saber se durante a menstruação tivermos relações sexuais com ejaculação dentro da vagina há hipóteses de se engravidar.

RESPOSTA:
A resposta é, teoricamente, não, mas... nunca fiando.
O período fértil das mulheres situa-se perto do 14.º dia (após o 1.º, que é quando vem a menstruação), sendo esse dia o "centro" de mais ou menos quatro a seis dias "perigosos". Nos restantes dias, corre-se menos risco de engravidar, mas... Ninguém é igual.

Antes de mais explicações, uma certeza: NUNCA te fies em conversas de "agora não se fica grávida". O corpo humano é muito especial, não há duas pessoas iguais e os acidentes acontecem. Pois, e quanto menos se espera...

Não tenhas relações sem preservativo ou sem protecção.
Não confies na sorte (nem nos métodos naturais). Os espermatozóides têm grande mobilidade e não perdem a oportunidade de cumprir A SUA missão...

Resumindo:
1 - Para não engravidar o mais seguro mesmo é o pénis não ter contacto com a vagina (risos...).
2 - Havendo esse contacto, usem preservativo ou outros meios anticoncepcionais. Assim protegidos, qualquer momento é seguro.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog