sábado, 31 de março de 2012

Transsexualidade: ser ou não ser

PERGUNTA:
Oi.. a minha dúvida é como e quando "nós" nos apercebemos realmente da nossa sexualidade... e já agora gostaria também de saber como hei-de saber se uma pessoa é transsexual... Obrigado pela atenção. Aguardo resposta...


RESPOSTA:
Nós apercebemo-nos da nossa sexualidade pelas experiências que vamos vivendo e pelo que observamos e aprendemos - e pelo que sentimos e gostamos...

Saber se alguém é transsexual?
Bom, para além do que se "vê" em algumas pessoas, em que se nota indefinição a nível de preferências e/ou atitudes, mas têm os órgãos sexuais normalmente definidos como pertencendo a um sexo há outro caso: vê a seguir.
Há transsexuais que têm problemas de nascença por não terem a definição sexual física completa - e aí podem surgir problemas por se optar na infância pelo sexo "errado".

Nota: um travesti pode não ser um transsexual.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Teste de gravidez

PERGUNTA:
Olá, tenho duas perguntas a fazer: 1. Como usar um teste de gravidez? 2. Para que é preciso ir às consultas de Ginecologia e o que é que lá fazem?

RESPOSTA:
Para saberes como usar um teste de gravidez, é melhor que compraes (ou vejas) um. O preço dos mais baratos ronda os €15. Dentro da embalagens do teste vêm as instruções todas, que podem variar de marca para marca. No entanto o princípio teórico é sempre o mesmo: testa a urina da pessoa que pensa estar grávida em busca duma hormona associada à gravidez e presente na urina, a HCG.
Se o período for muito "certinho" (relembramos que durante a adolescência é normal que o período não seja muito regular), o teste poderá ser feito uma semana após a falta de menstruação. Se for negativo não é 100% certo que não haja gravidez, será melhor repetir o teste três semana após a falta.

Ir a uma consulta de Ginecologia é uma questão de bom senso. Afinal, ninguèm põe em causa as visitas regulares ao dentista, não é? Na consulta é possível ver se está tudo bem, para tirar qualquer dúvida que tenhas, para o médico receitar a pílula mais indicada (se for o caso), etc.. Todas as adolescentes deveriam ir ao Ginecologista com regularidade.

terça-feira, 27 de março de 2012

Tampões: modo de usar

PERGUNTA:
Não quero usar pensos higiénicos, quero usar tampões...mas não consigo aplicá-los! Já li em muitos sítios o que fazer, mas não consigo... porque quando vou pô-los nunca sei exactamente como pôr! AJUDEM-ME!

RESPOSTA:
O tampão é uma boa opção. No teu caso, e como nunca usaste, a opção "mini" é a melhor. Até para o Verão, para a praia, e para ires à piscina em qualquer altura é a melhor solução.

Antes disso, claro, que terás de comprar uma caixinha deles.
Bom, há os "sem aplicador" e os "com aplicador". Em ambos os casos, acaba-se por não usar muito o aplicador. Bem, falando aqui com as colegas, elas dizem que não dá muito jeito. Agora, pode ser o factor preço ou o factor marca que faz a diferença. Tenta as mais conhecidas.

Em qualquer caso, vais ter de "explorar" levemente a tua vagina (lá dentro, sim) para veres que tem lá muito espaço. Mas experimenta pôr o tampão só quando te vier o período, porque assim está tudo mais "lubrificado" e "entra" melhor.
Tens de estar relaxada e não ter medo que doa a pô-lo - porque não dói. Na verdade, se estiver bem colocado não se sente nada.

Levantas ligeiramente uma perna (apoia-a no bidé, por exemplo) ou põe-te de cócoras. Procura a entrada da vagina e introduz com jeitinho o tampão. Nota que a vagina é inclinada para trás, não é a direito para cima.Empurra para dentro sem medo até o teu próprio dedo entrar também - o tampão nunca se irá perder lá dentro pois não há outra saída.
O fio fica de fora e, para o tirar basta puxar, devagar.
Pronto. Não deve doer nada e praticamente não se deve sentir.

Não te preocupes com perdas de virgindade, que não é coisa que se perca com um tampão.
E, para terminar: todas estas indicações, com imagens, estão dentro da embalagem que escolheres. Tens de comprar e ver.
E a tua mãe? será que não te pode ajudar? Não deve ser novidade para ela...
(Nota: não deites o tampão usado na sanita. Embrulha-o em papel higiénico e põe-no no lixo.)

Boa sorte!

domingo, 25 de março de 2012

Sonhos húmidos e perversão

PERGUNTA:
É uma coisa que tenho um bocado de vergonha de falar, mas às vezes acordo com o pijama molhado... e não é chichi. Que vergonha. Como é que posso impedir isso. Acha que estou a começar a ficar perverso?

RESPOSTA:
Os chamados "sonhos húmidos", que é o que tens, não são motivo de vergonha nenhuma, porque fazem parte do desenvolvimento normal da sexualidade. Está bem que não andes aí a propagar aos quatro ventos, mas nunca te deves sentir culpabilizado, até porque esses "sonhos húmidos" (que são ejaculações) acontecem quando estás a dormir.
Provavelmente terás sonhos e estímulos sub-conscientes que te excitam e tens uma ejaculação, mas não é nada para te considerares "perverso", como escreveste. Encara isso normalmente e, mesmo que te custe, fala com os teus pais para não parecer um segredo ? eles saberão perceber a situação (os pais também já foram adolescentes, mesmo quando parece que se esqueceram dessa fase da vida). Outra coisa: os "sonhos húmidos" não têm nada a ver com a masturbação.

sexta-feira, 23 de março de 2012

SIDA e masturbação

PERGUNTA
Eu tenho uma pergunta que não me sai da cabeça, embora seja um pouco esquisita e talvez estúpida. É possivel contrair SIDA quando se masturba uma mulher virgem?

RESPOSTA:
1 - Masturbar uma mulher virgem não é bem "masturbar" pois, por definição, a masturbação é uma coisa que a pessoa faz a si própria.

2 - Tocar ou estimular sexualmente (aquilo a que chamas masturbar) uma mulher virgem implica não a penetrar, certo?
3 - A SIDA contrai-se através de contacto com sangue, esperma, leite materno infectado ou outros fluidos corporais.
Se não há contacto com nenhum destes fluidos contaminados não se transmite a SIDA. Nas circunstâncias que descreves só haveria alguma probabilidade de contaminação se a mulher em questão fosse portadora do vírus e tu tivesses uma ferida aberta na parte do teu corpo que contactasse com algum dos seus fluidos corporais. Nota que a SIDA não se transmite apenas através da relação sexual e que a virgindade não está relacionada com o assunto.

quarta-feira, 21 de março de 2012

Sexo oral

PERGUNTA:
O que é sexo oral?

RESPOSTA:
Sexo oral é a estimulação praticada com a boca em contacto com os órgãos genitais.
Bom, se o acto sexual é a introdução do pénis na vagina, o sexo oral será a introdução do pénis na boca. Tecnicamente chama-se felação (fellatio, em latim e inglês).
Também se pode considerar sexo oral quando a zona vaginal feminina é estimulada com a boca. A esta modalidade chama-se cunnilingus.

E, já agora, é recomendada a utilização de protecção (preservativo) também durante o sexo oral.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Sexo na praia

PERGUNTA:
Estava a pensar fazer sexo com o meu namorado na praia. Havera algum inconveniente?
Obrigada.

RESPOSTA:
Logo à partida, vamos supor que te referes a uma praia deserta, pois inconveniente é sobretudo serem surpreendidos...
. E excluindo o "factor vizinhança", lá romântico é... ouvir as ondas e o mar, mas olha que a praia tem areia, milhares, milhões de grãos de areia. E a areia pode ser muito irritante, se entrar para onde não deve, se ficar colada e a arranhar.
Mas há maneiras de evitar isso, certo?

sábado, 17 de março de 2012

Sexo e erva

PERGUNTA:
Alguém é capaz de me dizer se fumar "coisas" afecta a minha performance sexual? Obrigado.

RESPOSTA:
Bom. Por onde queres que comece? Se estás a falar de fumar erva, claro que na maioria dos casos há uma certa dificuldade em ter uma erecção. A cannabis, fumada ou ingerida, pode mudar o comportamento, o que pode levar a fazer certos actos que normalmente não farias, como entrar em certas situações do foro sexual que, mais tarde, venhas a lamentar. Uma delas é esquecer-se de usar preservativo ou outras formas de contracepção. Finalmente, porque a cannabis altera a percepção da realidade e aumenta a percepção sensorial, podes sentir o sexo como mais intenso, para o melhor e para o pior, entenda-se....

sexta-feira, 16 de março de 2012

I Conferência Online de Educação Sexual ( I COES)

O Grupo de Estudos e Investigação em Sexualidade, Educação Sexual e TIC (GEISEXT) do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa, realizará nos dias 2, 3 e 4 de maio de 2012, a I Conferência Online de Educação Sexual ( I COES): Práticas pedagógicas intencionais de educação sexual na escola.

Esta conferência, que resulta de uma parceria entre três grupos de investigação de três Universidades - GEISEXT do Instituto de Educação da Universidade de Lisboa (Portugal), EDUSEX (Educação Sexual e Formação de Professores) da Universidade do Estado de Santa Catarina (Brasil), GSEXs (Grupo de Pesquisa e Extensão sobre Sexualidades) da Universidade Estadual Paulista (Brasil) - é o primeiro evento nesta área temática a ser realizado totalmente on line.

O I COES tem por objetivo reunir professores/as de todos os níveis e áreas de ensino, assim como investigadores/as, interessados/as em ampliar os seus conhecimentos na área da sexualidade, da educação sexual, das relações de género e diversidade sexual, através da partilha de experiências, das investigações, das problematizações, assim como das inquietações que têm acompanhado todos/as aquele/as que atuam nestas temáticas, com vista à realização da educação sexual na instituição escolar.
Pretende-se refletir sobre algumas das muitas temáticas que envolvem a educação sexual, oferecendo aos professores/as a oportunidade de colaborarem com os seus pares, na (re)construção de novos conhecimentos, e de refletirem sobre as diferentes perspectivas e possibilidades de concretização da educação sexual.

Mais informações sobre I COES poderão ser encontradas no site www.coes2012.com

Download Documento 1



Download Documento 2

 

quinta-feira, 15 de março de 2012

Ser homossexual

PERGUNTA
Como é que eu sei que sou homossexual?


RESPOSTA
Algumas pessoas às quais esta questão foi colocada afirmaram que sempre se sentiram "diferentes" da maior parte dos seus amigos. Outras dizem que sempre se sentiram atraídas por pessoas do mesmo sexo, desde muito jovens. Outras, ainda, revelam que só se aperceberam da sua orientação sexual na adolescência ou já adultas. Não há uma norma.

Qualquer pessoa necessita de tempo para classificar os seus sentimentos, sentimentos esses que podem mudar com o passar do tempo, sobretudo quando se é mais jovem. Compreender a nossa sexualidade pode ser um processo que dura a vida inteira (e por vezes não chega...). Gostaríamos ainda de acrescentar que não é necessário que sejamos sexualmente activos para, de repente, descobrirmos a nossa identidade sexual. Feliz ou infelizmente, não funciona assim.

terça-feira, 13 de março de 2012

Sadomasoquismo

PERGUNTA:
Sadomasoquismo é sexo ?

RESPOSTA:
O que apurámos sobre sadomasoquismo é que o termo foi criado em 1885 pelo psiquiatra e neurologista alemão Richard von Krafft-Ebing.

O sadomasoquismo é considerado, dentro da Psiquiatria, como sendo uma parafilia; normalmente, os indivíduos com esse transtorno obtêm a excitação sexual através de comportamentos tanto sádicos como masoquistas. Entre as parafílias, o sadomasoquismo encaixa na categoria de transtornos sexuais e da identidade sexual.

O masoquismo são fantasias sexuais recorrentes e altamente excitantes, impulsos sexuais ou comportamentos que implicam o feito (real, não simulado) de ser humilhado, preso, atado ou de sofrer qualquer outra forma de sofrimento.

O sadismo são fantasias sexuais recorrentes e altamente excitantes, impulsos sexuais ou comportamentos que impliquem actos (reais, não simulados) nos quais o sofrimento psicológico ou físico (incluindo a humilhação) da vítima é sexualmente excitante para a pessoa que os faz.

Estas fantasías e impulsos sexuais provocam um mal-estar clinicamente significativo ou uma deterioração social, laboral ou de outras áreas da actividade do indivíduo.

Cremos que sadomasoquismo é sexo. Mas que é também uma perversão da actividade sexual.

domingo, 11 de março de 2012

Seios - Grandes ou pequenos?

PERGUNTA:
Ouvi dizer que os seios desenvolvem-se 1 ano antes de aparecer pela 1.ª vez a menstruação e o que eu queria saber era se os meus seios ainda se vão desenvolver mais; é que a menstruação apareceu-me aos 12 e na altura tinha os seios pequenos e agora tenho 15 anos e continuo com os seios pequenos. É normal?

RESPOSTA:
O tamanho dos seios tem a ver com a nossa herança genética. Há raparigas "peitudas" e outras que têm seios pequenos. É uma coisa que se tem de aceitar... É o mesmo que ter cabelo liso ou encaracolado, louro ou castanho, ser alta ou baixa... É assim que "somos"...

A vinda do período não está directamente relacionada com o tamanho dos seios, está-o apenas com um conjunto de mudanças físicas que acontecem na puberdade e na adolescência.

Mas considera o seguinte:
1 - Tens de aprender a aceitares-te como és. Se tivesses seios volumosos estarias talvez triste porque ouvirias falar em "aquela dos airbags".
2 - Há musculação para os peitorais, mas o peito (a mama) não é um músculo, é composto sobretudo por glândulas (mamária). O músculo peitoral fica por trás da mama. Os rapazes também o têm, claro, e podem aumentar a massa muscular com ginástica. As raparigas também, mas menos.
3 - Quando um dia ficares grávida, vais ficar feliz, pois o peito (as glândulas mamárias) aumenta... Mas não penses em engravidar por causa disso!!!
4 - E se pensas que as tuas relações afectivas são prejudicadas por isso (é a tua questão escondida), vai à praia e olha à volta! Numa relação afectiva feliz e sólida há muitos mais factores a "pesarem" mais do que o tamanho dos peitos.

sexta-feira, 9 de março de 2012

Relações sexuais - perda de sangue

PERGUNTA:
Gostava de fazer uma pergunta. Uma amiga minha de 14 anos, começou a ter relações sexuais com o namorado. Na primeira vez, como é obvio, ela sangrou, só que já vão na terceira vez e ela continua a sangrar. Isto é normal? Eu estou muito preocupada com ela... Agradecia que m respondessem o mais rápido possível.

RESPOSTA:
Na verdade, não é muito habitual sangrar-se sempre que se têm relações sexuais, mesmo aos 14 anos. Aconselho a tua amiga a ir rapidamente ao ginecologista e a não ter relações enquanto não for observada.
Lembrem-se que ele/a (o médico/a) é obrigado/a ao sigilo profissional e tudo será confidencial. Se viverem numa terra pequena, experimentem ir a outra ou explicar que é só para saber se está tudo bem (o que é verdade). Pode ser "chato", mas com estes assuntos não se brinca!
Tudo de bom.

quarta-feira, 7 de março de 2012

Quistos e obesidade

PERGUNTA:
Olá. Tenho uma doença chamada "síndroma dos ovários poliquísticos" e acho-me gordíssima. Faço dieta, vou ao ginásio, mas parece que isto faz que anda mas não anda e o espelho não me dá resultados nenhuns. Nem a balança. Que fazer? E ainda por cima ando sempre cheia de fome...

RESPOSTA:
Viva, Sónia. Sabes que Sónia quer dizer "sabedoria" em russo? É o mesmo que "Sofia", que vem do grego... bom, mas se calhar, dado que o teu nome representa a sabedoria, já sabes que uma em cada cinco mulheres tem quistos nos ovários, embora muito poucas destas tenham sintomas e sinais, do que tu, muito apropriadamente chamas "síndroma dos ovários poliquísticos", e que está associada a uma perturbação hormonal que leva a que os períodos menstruais sejam irregulares, que se tenha excesso de peso e acne, e muitos pelos na cara (o que nós, médicos, chamamos "hirsutismo"). Há teorias que dizem que manter o peso adequado ajuda a reduzir os outros sintomas, pelo que vale a pena seguires os conselhos de uma dietista e tomares algum cuidado, sem exageros, claro. Já discutiste este assunto com o teu médico?

segunda-feira, 5 de março de 2012

Quando a 1.ª vez não corre como se espera

PERGUNTA
A minha dúvida é simples mas ao mesmo tempo complicada. Namoro e gosto mesmo muito do rapaz com quem namoro...sei que é com ele que quero perder a virgindade. Ele tem insistido muito.... e houve uma vez que eu deixei tudo acontecer... Quando chegou a altura da penetração ele não conseguiu... Será que foi por eu estar muito nervosa e ficar contraída? Ou isto não é normal?

RESPOSTA:
Acredita que o nervosismo pode mesmo atrapalhar tudo... Deves mesmo ter ficado contraída à conta da expectativa.
No entanto, só deves ter a tua primeira vez quando TU sentires que é a altura certa, não quando o namorado pede, mesmo que o adores.
É mau ter uma primeira experiência "menos boa" à conta de nos precipitarmos.

Algumas coisas IMPORTANTES:
1 - Não vás a correr "perder a virgindade". A "primeira vez" deve ser no momento que TU considerares "certo".
2 - Nunca tenhas a tua "primeira vez" tensa, com medo ou sem a certeza de quereres mesmo. Na dúvida, adia.
3 - Protege-te! (Protejam-se!) Ninguém quer as consequências de uma relação sexual desprotegida.
4 - Deixa as coisas acontecerem naturalmente. Se não for desta, é da próxima. Se não for bom, há-de ser melhor - também da primeira vez que se anda de bicicleta é normal cair (percebes?).
5 - Não tenhas altas expectativas (muito poucas vezes é como o que nos mostram nos filmes ou como o pessoal se gaba que "foi")...

sábado, 3 de março de 2012

Primeiro beijo

PERGUNTA:
Eu tenho um namorado, mas quando começámos, decidimos que ele esperaria até eu estar pronta para dar o 1.º beijo. Mas ele é mais velho e tem-me pressionado. O que faço?

RESPOSTA:
Não tens de ceder às pressões do teu namorado. Um beijo ou outra coisa que tem a ver com uma relação a dois deve respeitar os dois.
Se não estás preparada para beijar, espera.
Ele, se te ama, deve compreender e aceitar.

Descansa que quando te sentires preparada, não vais ter dúvidas.

quinta-feira, 1 de março de 2012

Preservativos que se rompem

PERGUNTA:
Quando o rapaz tira o preservativo, e o preservativo tiver rompido, como é que se vê?

RESPOSTA:
Tal como é dito, só se vê que está roto quando o rapaz tira o preservativo, porque sai esperma por um local errado, furado, roto, com um orifício ou... E basta olhar.

E atenção: ao contrário do que a malta (erradamente) pensa, é muito raro o preservativo romper.
O preservativo é 99,99% seguro se:
se colocar com o procedimento certo, com o pénis em erecção, desenrolando-o bem até à base do pénis;
se utilizar um preservativo dentro do prazo de validade;
não abrir se a embalagem com os dentes ou com um instrumento cortante;
se utilizar apenas uma vez e para o fim a que se destina.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog