terça-feira, 5 de junho de 2012

8 Dicas para Perder Peso após a Gravidez sem ficar faminta

Actualmente está grávida e sente-se desencorajada quando pensa no trabalho que dará perder peso após a gravidez? Ou talvez seja uma mamãe de primeira viagem que está esgotada e a última coisa em sua mente é ir à academia? Perder peso após a gravidez é sempre uma tarefa complicada para todas mulheres, porém não há motivos para que não volte à velha forma e mais linda do que nunca. De qualquer forma, as seguintes dicas ajudarão a perder o peso ganho durante a gravidez facilmente. 

1- Não Utilize a Gravidez Como Uma Desculpa Para Relaxar 
Gravidez é o momento para tornar-se rigorosa sobre a sua nutrição. Comer “porcarias” irá produzir um bebé pequeno e uma mamãe grande. Use a sua gravidez como um marco para iniciar uma nova vida e acabar com velhos hábitos de comer “porcarias”. Precisa desenvolver hábitos que irão supri-la bem durante a gravidez e tornarão perder peso após a gravidez mais fácil. Ao mesmo tempo, não fique obcecada com o ganho de peso. É comum adquirir entre 12 e 20 quilogramas durante a gravidez, mas isso não deve ser desculpa para você não voltar a usar as suas velhas roupas alguns meses após o parto. Concentre-se em ter uma boa alimentação, manter-se activa e irá perder peso após a gravidez com certeza. 

2- Alimente o Bebé Com Leite Materno 
A amamentação queima em torno de 500-700 calorias por dia. Viu, não é nada mau quando você está apenas sentada no sofá relaxando! Seu corpo ganha entre 4-5 quilogramas durante a sua gravidez especificamente com a finalidade da lactação. O peso extra está em suas coxas para garantir que você terá bastante gordura para queimar a fazer leite para o bebé. Vamos chamar isso de “seguro contra fome”. Porquê, perguntam vocês? Bom, adivinha? Se não amamentar, o peso ganho, não vai a lugar algum! Vários estudos mostram que mães que amamentam seus filhos regressam ao seu peso original mais rapidamente. Amamentar também ajuda o seu útero a contrair-se mais rapidamente de volta ao tamanho pré-gravidez. Além disso, terá um belo decote para mostrar! 

3- Dê Uma Volta Todos os Dias 
Andar a pé é provavelmente o exercício perfeito para as novas mães. Não é estressante para suas articulações (que ainda estão meio “marias-moles” por causa dos hormônios). É gratuito e não exige uma ama ou qualquer equipamento especial. Caminhar expõe-te ao sol, o que ajuda a regular o seu sono, fazendo com que tanto você quanto o bebé durmam melhor durante a noite e, eventualmente, ajuda a prevenir a depressão pós-parto. E pode fazê-lo com uma amiga. Se está dormindo pouco por causa do bebé e não tem vontade de se exercitar para perder peso após a gravidez, ligue para uma amiga e combine de caminhar todos os dias de manhã. 

4- Controle Seus Desejos 
Mães após o parto sentem desejos por várias razões. Uma delas é porque os níveis de serotonina estão caindo, o que leva a desejos por qualquer coisa que tenha açúcar. Substitua a vontade de fazer uma “boquinha” por alguma actividade saudável como brincar com seu bebé ou dar uma volta com seu marido. Outro motivo pelo qual as mulheres sentem desejos pode ser o baixo nível de açúcar no sangue devido a uma nutrição inadequada (comer após longos intervalos ou comer muito açúcar). Mantenha o seu nível de açúcar no sangue sob controle fazendo pequenas refeições frequentes e equilibradas em nutrientes. Mantenha alguns lanchinhos à mão para que possa pegar rapidamente antes de alimentar o bebé. Você precisa de gorduras, proteínas e carboidratos complexos. Coisas como frutos secos, nozes, granola, iogurte integral (os normais geralmente tem muito açúcar), legumes, grãos/cereais, pão, frutas, etc, irão manter o seu nível de açúcar no sangue constante e proporcionar boa nutrição. E continue tomando sua vitamina pré-natal para ajudar a prevenir deficiências que podem causar os desejos. 

5- Evite Excesso de Cafeína 
Beber muita cafeína leva a picos de insulina que fazem o seu nível de açúcar no sangue cair. Quando isso acontece, a maior parte das pessoas sai correndo para comer algo que contenha carboidrato para trazer de volta o nível de açúcar no sangue. Isso não é bom. Então dê um tempo no café. 

6- Obtenha Repouso Suficiente 
Mais fácil falar do que fazer se é uma nova mãe. Mas, se tal for possível, faça um sesta com o seu bebé. Quando seu sono está terrivelmente atrasado tende a ganhar peso, e quanto mais peso ganho, mais difícil será perder peso após a gravidez. Considere trazer o bebé para a sua cama se estiver amamentando. Vai dormir melhor, o bebé irá dormir melhor, e o papai vai dormir melhor (tornando até mais provável que pela manhã ele leve o bebé para passear e a deixe dormir sossegada!). As mulheres de todo o mundo vem fazendo isso por milhares de anos. Contanto que você não esteja morbidamente obesa, utilizando pílulas para dormir ou algo parecido, dormir com o bebé é seguro. 

7- Concentre-Se Em Ter Uma Boa Nutrição 
Este também é um desafio para uma nova e estressada mãe. Fale com outras mães e procure saber como elas conseguiram passar por essa fase e se alimentar. Algumas mães que eram antigas viciadas em “porcarias” conseguiram superar o problema e não se importam em dar conselhos a novas mamães. Antes de comer alguma coisa também se pode perguntar: “Será que daria isto para meu bebé?” Se a resposta for não, provavelmente não é bom para si também. 

8- E Por Último, Dê Tempo Ao Tempo 
Seja realista, não espere estar usando novamente sua calça jeans favorita apenas algumas semanas após o parto. Enquanto não volta à velha forma aproveite para apreciar suas novas curvas (sobretudo seu novo decote). Não se preocupe tanto com o seu peso. Provavelmente, o seu parceiro estará muito mais indulgente com as suas mudanças. Acima de tudo, desfrute do seu novo bebé e perder peso após a gravidez irá acontecer sem que você perceba. Fonte: 8 Dicas para Perder Peso após a Gravidez sem ficar faminta | Planeamento Familiar

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog