domingo, 15 de julho de 2012

Anatomia dos Sistemas Reprodutores Masculinos e Femininos

A reprodução só é possível quando os orgãos genitais internos atingem a maturidade ou seja, quando se desenvolvem os caracteres sexuais primários. A maturidade só se revela através da produção de gâmetas (células sexuais) nas gónadas ou orgãos sexuais: os testículos e os ovários. Apesar de ser nas gónadas que são formados os gâmetas, é de salientar também a importância dos outros orgãos do sistema genital. São eles que condicionam o transporte das células sexuais e a manutenção de condições para a sua sobrevivência, permitindo o encontro dos gâmetas e a fecundação. Observa atentamente o Sistema Reprodutor Feminino (fig. 1) e o Sistema Reprodutor Masculino (fig. 2) nas figuras que se seguem.








SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

SISTEMA REPRODUTOR MASCULINO

GÓNADAS


OVÁRIOS
São dois órgãos em forma de amêndoa localizados na cavidade abdominal. Neles originam-se os óvulos – gâmetas -, células reprodutoras femininas. São também órgãos glandulares produtores de hormonas.


TESTÍCULOS
São dois órgãos ovóides no exterior da cavidade abdominal, numa bolsa designada por escroto ou bolsa escrotal. Produzem os espermatozóides - gâmetas masculinos- e hormonas.





TROMPAS DE FALÓPIO
São duas, podendo-se designar por ovidutos. Iniciam-se por uma zona em forma de funil franjado, o pavilhão da trompa, abrindo no fundo do útero. São canais que estabelecem a comunicação ovário - útero.


EPIDÍDIMOS
São duas estruturas que recobrem parcialmente os testículos, que têm a função de armazenar e amadurecer os espermatozóides.


VIAS GENITAIS


ÚTERO
Órgão muscular em forma de pêra, cuja parede se prepara todos os meses para receber o ovo, ocorrendo uma gravidez. A zona inferior designa-se por colo uterino e corresponde ao local onde o esperma é depositado pelo pénis.

CANAIS DEFERENTES
São dois canais com cerca de 40cm de comprimento, continuando os epidídimos. Cada um deles penetra no abdómen, atravessa a próstata e abre, finalmente, na uretra. Conduzem os espermatozóides.




VAGINA
Canal flexível que se insere no colo uterino e abre para o exterior, a nível da vulva, que tem a função de estabelecer a relação sexual.

URETRA
Canal que se inicia na bexiga e percorre o pénis, abrindo na extremidade deste. Permite a condução da urina e do esperma para o exterior.



VESÍCULAS SEMINAIS
Duas glândulas que segregam um líquido constituinte de cerca de 60% do esperma.

GLÂNDULAS ANEXAS



PRÓSTATA
Glândula cujos canais excretores abrem na uretra. Elabora o líquido esbranquiçado e açucarado constituinte do esperma e que é expulso na ejaculação.




GLÂNDULAS DE COWPER
Duas glândulas do tamanho de ervilhas que comunicam com a uretra. Têm a função de lançar um líquido, antes da cada ejaculação, que vai eliminando os vestígios de urina ao longo da uretra.

ORGÃOS

LÁBIOS
São pregas cutâneas. Os extremos são os grandes lábios e os mais internos os pequenos lábios.

PÉNIS
Órgão externo atravessado pela uretra por onde é expelido o esperma e a urina. O pénis é o orgão que estabelece a relação sexual.
GENITAIS
CLÍTORIS
Pequeno orgão de grande sensibilidade.
EXTERNOS
ORIFÍCIO GENITAL
Orifício que corresponde à abertura da vagina.
ESCROTO
Bolsa onde estão contidos os testículos.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog