quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Gravidez e menstruação

Mensagem
Pode-se engravidar quando se tem menstruação?

Resposta
A resposta é SIM, mesmo que seja bastante improvável.
Na dúvida, usem o preservativo. Protejam-se!
Tudo de bom!

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Métodos de Combate à Infertilidade


A infertilidade atinge muitos casais em todo o mundo. Afinal “fabricar” um bébé é mais complicado do que se imagina. Mesmo nas melhores condições quando um casal tem relações no período fértil da mulher, a gravidez falha três em cada quatro tentativas. Se as condições não são as melhores (mulheres com mais de 35 anos, irregularidades do funcionamento do seu aparelho reprodutor, espermatozóides deficientes ou em pouca quantidade), as hipóteses de uma gravidez desejada tornam-se drasticamente mais baixas.
Felizmente, que novas portas se têm aberto no combate à infertilidade, pois nos últimos anos as pesquisas neste campo, têm-se desenvolvido muito. São diversas circunstâncias que acusam a infertilidade tanto na mulher como no homem:

MULHER
HOMEM

     Dificuldade no amadurecimento do óvulo e sua libertação;
      Dificuldade na implatação do ovo;
     Trompas estragadas ou bloqueadas devido a infecções pélvicas, DST ou endometriose (bocados de tecido que se escaparam do útero);
     Alergia ao esperma do marido (o sangue da mulher tem anticorpos que destroem os espermatozóides).

     Pouca produção de espermatozóides;
     Espermatozóides sem enzimas para entrar no óvulo;
    Falta de agilidade dos espermatozóide.



PARA COMBATER ESTES PROBLEMAS EXISTEM VÁRIOS MÉTODOS:

·       INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL: consiste em introduzir no colo do útero da mulher, na altura da ovulação, espermatozóides do homem do casal ou de um dador. Usa-se este processo quando o marido é estéril (Fig. 1).

FIGURA 1 - INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL.

COM ESPERMA DO DADOR: o esperma é congelado e colocado no colo do útero da mulher durante a ovulação.
COM ESPERMA DO MARIDO: o esperma é recolhido e depois congelado. Selecionam-se os espermatozóides mais eficazes (devido à falta de agilidade por parte dos espermatozóides) sendo depois o esperma introduzido no colo do útero.


·      FECUNDAÇÃO IN VITRO: o óvulo é recolhido e colocado numa proveta em contacto com o esperma (do marido ou do dador). Dias mais tarde introduz-se o embrião no útero da mulher por via vaginal. Faz-se devido à obstrução das trompas ou devido a uma deficiência no endométrio (endometriose) (fIG. 2).

FIGURA 2 - FECUNDAÇÃO IN VITRO.

·       GIFT: recolhe-se óvulos da mulher e espermatozóides do homem que depois se colocam na trompa, próximos um do outro para que o encontro se dê. Ocorre-se a este método quando os espermatozóides são pequenos e em pequenas quantidades e pouco ágeis  e também devido à endometriose.
·       ZIFT: recolhem-se óvulos da mulher e esperma que se colocam em contacto numa proveta. Se houver fecundação o ovo é colocado na trompa. Usa-se devido à esterilidade do marido e à endometriose.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Higiene íntima feminina: tudo que você deve saber


Vida de mulher não é fácil. Em se tratando de saúde, então… é TPM, enxaqueca e outras coisas mais. É melhor nem explanar porque a lista é longa e o assunto aqui é higiene íntima. Atualmente, existem várias opções de produtos para cuidar do caso: lencinhos humedecidos, sabonetes específicos, protetores de calcinha, desodorizantes. São tantos os produtos que a variedade pode até nos confundir. Aí, o que seria um prosaico momento de limpeza se revela um verdadeiro banho de dúvidas.
O que pouca gente sabe é que a vagina também possui glândulas sebáceas e elas secretam um sebo capaz de exalar um cheiro característico quando entram em contato com o ar. O odor da genitália feminina é, portanto, normal por uma questão puramente fisiológica. Mas, se o cheiro começar a mudar ou ficar muito forte, você pode estar com algum tipo de infeção. O mesmo vale para o corrimento. Ele pode ser natural, mas, muitas vezes, é proveniente da chamada vaginite – ou seja, inflamação dos tecidos da vagina.
A vaginite ocorre, na maioria das vezes, pela ação de fungos, que produzem uma secreção espessa e esbranquiçada; de bactérias, que produzem um corrimento mal cheiroso; e de protozoários, que causam um corrimento espumoso e de cheiro desagradável. Portanto, meninas, a higiene é fundamental!

Higiene Íntima
Na hora do banho, a dupla água e sabão aliada a uma boa técnica de limpeza são ainda os cuidados mais importantes. “Não tenha medo de passar os dedos entre os grandes e os pequenos lábios para limpá-los, enxaguando bem, e prefira os sabonetes com pH neutro (ou os glicerinados) aos perfumados, para evitar irritação”, recomenda a ginecologista Sónia Valentim. E ela complementa: “Mulheres virgens devem lavar apenas a parte externa do órgão com sabonete. Já para quem tem vida sexual ativa, de tempos em tempos, a limpeza deve ser feita passando o dedo lá nas paredes do canal vaginal. Toda vez que não usar a camisinha é bom fazer assim também, para eliminar os resquícios de esperma”, ensina.
Mas, atenção: essa limpeza mais profunda não deve ser feita sempre, para não destruir a flora vaginal. Pelo mesmo motivo, as duchas internas também não são recomendadas, pois o forte jato de água acaba com a defesa natural da vagina. Já toda vez que fizer xixi ou evacuar, procure se limpar com água e sabonete. Fique atenta ainda ao modo correto de utilizar o papel. “Ele deve ser passado da frente para trás, ou seja, da vulva para o ânus”, explica a ginecologista. Dessa forma, impedimos que as bactérias que vivem na região anal passem para o órgão genital e provoquem infeções. A médica recomenda ainda o uso de lencinhos humedecidos quando a mulher utilizar banheiros fora de casa.
Outra dúvida recorrente da maioria das mulheres é em relação à depilação. Apesar de o aspeto ser mais higiénico, a ausência de pelos pubianos na região da vulva não é aconselhável. Segundo a ginecologista Maria Luiza Ruas, os pelos devem ser apenas aparados, pois protegem a pele da área genital, que é muito sensível.

Higiene e menstruação
Durante a menstruação, as mulheres sofrem uma variação de pH da mucosa vaginal. É muito importante, portanto, redobrar os cuidados com a higiene íntima neste período. As médicas recomendam lavar a região genital mais de uma vez ao dia, sempre que o absorvente for trocado. De acordo com elas, o que causa o mau cheiro não é o sangue, mas o contato dele com o ar, que permite a proliferação de bactérias. Ao lavar, evita-se o odor peculiar e possíveis infeções. “As trocas de absorventes ficam a critério de cada uma, depende do fluxo”, diz Dra. Sónia.
Já para quem usa absorvente interno, um alerta: não se pode passar mais de três ou quatro horas com o mesmo. Além de infeção vaginal, corre-se o risco de ter uma séria infeção na região pélvica. Outra má notícia: esqueça os protetores diários de calcinha. Eles impedem que a área respire, tornando o ambiente húmido e abafado, perfeito para a proliferação de fungos.
Evite
O arsenal de limpeza é vasto, os cheirinhos também. No entanto, talcos, desodorizantes, perfumes íntimos e absorventes perfumados não são indicados. Ao contrário do que muitas mulheres pensam, eles não ajudam na higiene e podem causar alergias e irritação em função das essências.
Calças compridas, muito apertadas, e a meia-calça também estão condenadas, já que comprimem a região genital, abafando e favorecendo a proliferação de fungos e bactérias. Em relação às calcinhas, dê preferência aos tecidos de algodão, porque os sintéticos, como a lycra ou a renda, impedem a ventilação.
Fique atenta, também, ao biquíni. Evite ficar com ele molhado por muito tempo, ou em contato direto com a areia e locais desprotegidos. “Sempre peço às minhas pacientes para não vestirem as peças íntimas com sapato ou chinelo. Se encostarem sem querer, ela pode ficar contaminada e infeccionar a vagina”, alerta Dra. Sónia Valentim.

Lembre-se!
Não é objetivo dos produtos de higiene íntima acabar com qualquer tipo de corrimento. É importante reforçar que esses produtos servem apenas para facilitar a remoção dos resíduos vaginais, diminuindo os riscos de infeções e doenças ginecológicas. Se você notar algo de diferente na secreção ou no cheiro das suas partes íntimas, nada de tomar ou passar remédios recomendados por amigas. Procure um médico imediatamente. Quanto antes você começar o tratamento correto, mais fácil resolver o problema. Mas, não esqueça, a prevenção é o melhor remédio. Cuide-se!


Fonte: Higiene íntima feminina: tudo que você deve saber | Planeamento Familiar

domingo, 21 de outubro de 2012

Gravidez

Mensagem:
"Fazer amor" na banheira ou na piscina engravida?
Mesmo eu tomando a pílula, para controlar a menstruação e para evitar gravidez, eu podeia "fazer amor" com o meu parceiro sem usar camisinha?

Resposta:
Fazer amor na banheira pode engravidar, sim, mas estamos a falar de ter relações sexuais completas: penetração e ejaculação na vagina da mulher.
Se o homem ejacular na água (na água mesmo), o risco de a mulher engravidar não existe. Os espermatozóides "nadam" bem, mas só no meio que lhes é favorável: dentro do corpo da mulher.

Se tomas a pílula (como indicado), não só regulas a menstruação como evitas a gravidez. Se nenhum de vocês tiver (de certeza absoluta) nenhuma doença sexualmente transmissível, claro que podem dispensar a camisinha, mas SÓ nesse caso.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Gravidez na adolescência, o que fazer ...


A taxa de fecundidade na população diminui em todos os grupos etários, mas entre os adolescentes de 15 a 19 anos baixou menos, andando à volta de 13,5 casos de gravidez por cada mil adolescentes (nos Estados unidos da América o número é de 96 casos de gravidez por cada mil adolescentes).

Outro dado importante é a escassa utilização de métodos anticoncepcionais e a alta percentagem de abortos provocados neste grupo de idades. No nosso meio, aproximadamente 10% das mulheres em que são praticados abortos legais têm menos de 20 anos; nos Estados Unidos 40% das adolescentes grávidas recorrem ao aborto.

A gravidez em adolescentes não é um fenómeno novo. Talvez alguns factores sociais actuais permitam uma análise aproximada das suas causas: puberdade numa idade mais precoce, trivialização da sexualidade, erotismo constante nos meios de comunicação, adolescência demasiado longa, etc.

Não obstante, o problema básico pelo qual se verifica é a falta de previsão (sobretudo quanto ao uso de anticoncepcionais) e não só por inconsciência, mas fundamentalmente por desinformação e ignorância.

A adolescente grávida e posteriormente a adolescente e o adolescente pais e sua filha e filho são pessoas com alto risco, tanto médico como social.

Em Portugal, e segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística, havia em 1998, 95 mães com menos de 15 anos e 7308 com idades entre os 15 e os 19.

EXISTEM MUITOS MITOS SOBRE NÃO ENGRAVIDAR

Não se engravida...
Se tomar banho a seguir ao acto sexual?
Se for a primeira vez que se tem relações sexuais?
Durante a menstruação?
Se se tiver relações sexuais em pé?
Se se retirar o pénis entes da ejaculação?
Quando não se atinge o orgasmo?

NÃO! CUIDADO!
Em qualquer destas situações podes engravidar!

Sintomas da gravidez:
Seios doridos;
Muito sono e cansaço;
Ficar sem menstruação;
Ficar enjoada.

CUIDADO! Se sentires alguns destes sintomas deves dirigir-te ao Centro de saúde.

sábado, 13 de outubro de 2012

Higiene íntima masculina: tudo que você deve saber


A higiene é sinónimo de saúde, sabemos que precisamos tê-la, para o nosso bem estar, ela representa um conjunto de técnicas e maneiras em que evitarmos doenças, e com isso usamos alguns procedimentos de higienização para o resto de nossa vidas, como lavar os cabelos, escovar os dentes, tomar banho, usar desodorantes, e a higienização íntima é um dos pontos mais importantes para o corpo, pois evita a proliferação de bactérias e fungos na região íntima dos seres humanos. Assim como as mulheres os homens também tem que manterem a higiene íntima em dia e com cuidados redobrados, para poder desfrutar de uma melhor saúde. Então pensando em benefícios confira nos tópicos os cuidados, dicas e produtos que auxiliarão na melhoria da higienização íntima masculina.

Cuidados higiene íntima masculina
A higiene íntima masculina é tratada e encarada como um comodidade em relação ao das mulheres, mas é algo que não deveria ser assim. Vários urologistas recomendam e afirmam que a higiene íntima masculina é algo que deveria ser dado mais atenção, pois é uma das atitudes que mais causam infecções e doenças gravíssimas, como câncer de pênis, afirma os especialistas. Com a falta de higiene íntima possibilita o surgimento de tumor na fimose, em que muitos casos há demora na descoberta, e uma inflamação chamada de balanite localizada na glande ou no prepúcio da região íntima masculina. Os riscos são muitos advindos pela falta de higiene íntima masculina.

Dicas higiene íntima masculina
Para os homens terem uma boa higiene íntima e com isso consequentemente evitar graves doenças, siga algumas sugestões de dicas e concelhos de como fazer isso corretamente.
Primeiramente sempre tome banho regularmente, e em épocas de calor intensifique está prática, é importante que você adquira um sabonete íntimo neutro para se banhar, e após o banho enxugue a região íntima para não permitir a propagação de fungos e bactérias, evite utilizar produtos com perfume demasiado, pois podem causar irritação e alergia.
As roupas utilizadas também fazem toda a diferença para manter a higienização da região íntima masculina e não permitir a proliferação de fungos e humidade. Para tal fim é recomendável usar cuecas de tecidos de algodão, pois outros tecidos fazem com que retenham mais humidade e com isso a proliferação das bactérias. Não use roupas apertadas, molhadas e lave as mãos sempre.

Produtos higiene íntima masculina
Os produtos para a higienização íntima mais recomendáveis são os sabonetes neutros, ou mesmo os líquidos, e também para o dia a dia lenços humedecidos ou papel higiênico para manter a região limpa após urinar.
Esses produtos são todos encontrados facilmente em supermercados, lojas de cosméticos e farmácias em sua cidade, em preços acessíveis.
E para mais informações sobre higiene íntima masculina ou mesmo o aparecimentos de anomalias, consulte o urologista para sanar quaisquer dúvidas. Previna-se sempre, este é o melhor caminho para garantir a boa saúde .


Fonte: Higiene íntima masculina: tudo que você deve saber | Planeamento Familiar

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Gosto dele

Mensagem:
Na minha escola existe um rapaz que eu gosto muito; pode-se mesmo dizer que o amo.
Não sei se ele partilha os mesmos sentimentos que eu.
Gostaria de saber como saber isso.
E já agora saber como é que eles podem ser comquistados.
Gostaria de ter a resposta o mais depressa possivel se não ainda o perco.
com muito amor e carinho

Resposta:
A nossa opinião é simples. Se achas que gostas dele tens de tentar conquistá-lo. Se ele não gostar de ti, tens de ter paciência...
Se ele gostar, é fixe. Se não... Dói, tens de aceitar, mas ao menos ficas a saber.
Claro que primeiro deves arranjar maneira, talvez com as tuas amigas, de perceber se ele sabe que tu existes. Se ele não souber que tu estás aí, tens de ir arranjando maneira de ele dar por ti. Estar perto, pedir algo emprestado, dar um recado de alguém, sei lá...

Depois, fala com ele (a sós, é melhor), diz-lhe o que sentes e logo vês.
Sim, é preciso moooooontes de coragem, mas ao menos, tiras daí o sentido.. Arrisca.

E conquistar alguém?
É preciso afinidade de gostos (não todos), de feitios, de interesses e algum humor,... Neste momento és tu que o "conheces" melhor e terás de te aplicar: usa os teus sentidos e muito bom senso.

Boa sorte!

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Os Métodos Contraceptivos


ÉTODOS MECÂNICOS DE CONTRACEPÇÃO




D.I.U
(FEMININO)


DIAFRAGMA
(FEMININO)




PRESERVATIVO
(MASCULINO)














DESCRIÇÃO

   Filamento delgado introduzido no útero. 

Anel de borracha

   Invólucro de borracha muito fino e flexível.

MODO DE ACÇÃO

Suprime a ovulação.

Impede que os espermatozóides atinjam o útero.

Impede que os espermatozóides se difundam na vagina. 

EFICÁCIA

92 A 99 %

70 %

89 %

EFEITOS
SECUNDÁRIOS



Contracções do útero para expulsão.
  Fluxo menstrual abundante.

Possíveis alergias.



Possíveis alergias.


MÉTODOS QUÍMICOS DE CONTRACEPÇÃO




PÍLULA ANTICONCEPCIONAL

ESPERMICIDAS







DESCRIÇÃO

Hormonas sintéticas semelhantes à progesterona e ao estrogénio.

Cremes vaginais.

MODO DE ACÇÃO

Suprime a ovulação.

Extermina os espermatozóides no colo uterino.

EFICÁCIA

99 %

60 a 75 %

EFEITOS
SECUNDÁRIOS



   Pode ocorrer muitas vezes tensão arterial elevada, coágulo sanguíneo (trombose), alterações ligeiras do peso corporal, infecções vaginais, cefaleias e/ou náuseas.

Possíveis alergias.





MÉTODOS DE CONTRACEPÇÃO MÉDICO - CIRÚRGICOS




LAQUEAÇÃO DAS TROMPAS

VASECTOMIA








DESCRIÇÃO

Hormonas sintéticas semelhantes à progesterona e ao estrogénio.

Seccionamento ou obstrução dos canais deferentes.

MODO DE ACÇÃO

Torna impossível o encontro do óvulo com o espermatozóide.

  Fecundação impossível dada a ausência de espermatozóides no esperma.

EFICÁCIA

100 %

100 %

EFEITOS
SECUNDÁRIOS



   Podem ocorrer distúrbios psicológicos devidos à infecundidade

Podem ocorrer distúrbios psicológicos devidos à infecundidade


quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Sida (VIH) – Os Riscos


Como é que se “apanha” Sida?
Na maior parte dos casos, por relações sexuais não protegidas, mas também por partilha de seringas e contactos com sangue infectado.

Por que é que é importante usar preservativo para ter relações sexuais?
Quando és penetrada/o, o pénis do teu parceiro contacta com as células que revestem a tua vagina e/ou o teu recto que conseguem absorver o fluido, permitindo assim que o vírus entre em contacto com a corrente sanguínea. As células que revestem o teu recto são particularmente delicadas, sendo como tal facilmente danificadas. Basta uma pequena abrasão para que se torne ainda mais fácil a passagem do vírus. E o recto é praticamente uma segunda casa para o VIH (Sida), já que apresenta uma elevada concentração dos glóbulos brancos que ele infecta.
Contudo, se usares preservativo, o vírus não conseguirá penetrar no teu corpo. Muito embora o VIH (Sida) seja muito pequeno, ele não consegue passar através do látex.

Posso “apanhar” sida se penetrar o meu companheiro mas não deixar que ele me penetre?
Sim, se não usarem preservativo. Penetrar é menos arriscado do que ser penetrado, mas um risco menor não implica ausência de risco. A penetração só é segura mediante o uso do preservativo.
Se uma pessoa for seropositiva, as células que revestem o seu recto e/ou a sua vagina podem conter vírus; ou o seu recto e/ou a sua vagina pode sangrar como resultado da penetração. Em qualquer dos casos, se penetrares alguém seropositivo sem preservativo corres o risco de absorver o vírus através do teu pénis – quer por pequenas abrasões na pele sensível da glande do pénis, quer através da uretra (o tubo através do qual saem a urina e o sémen). Um preservativo protegerá o teu pénis e a tua saúde.

Posso apanhar sida se não usar preservativo mas usar muito lubrificante?
Sim, muito embora o risco possa ser menor do que se não usares nada. Os lubrificantes, tais como os que podes usar juntamente com os preservativos, diminuem a probabilidade do pénis e das células do recto e/ou da vagina ficarem danificados durante a penetração. Quanto maior for a quantidade de lubrificante, mais suave é a penetração, menor é o risco de estragos. Contudo, mesmo que nem o teu pénis nem as células do recto e/ou da vagina fiquem danificados, o VIH pode ser absorvido para a tua corrente sanguínea se tiveres sexo não protegido com alguém seropositivo.

Preciso de usar preservativo se quer eu, quer o/a meu/minha parceiro/parceira formos seropositivos?
Se abandonares os preservativos, ficas em risco de te infectares com um tipo de VIH ligeiramente diferente daquele que tu tens. Tal como já dissemos, o VIH muta, produzindo novas versões de si próprio. Estas novas versões podem ser resistentes às drogas que estejas eventualmente a tomar. Podem também ser uma carga adicional para o teu sistema imunitário.
Se és seropositivo/a e só tens sexo com seropositivos, tens também de ter em conta que, se não usarem preservativo, ficam em maior risco de contraírem outras infecções transmitidas sexualmente. As pessoas com VIH podem ter maior dificuldade em combater estas infecções. Existem também estudos que comprovam que pessoas seropositivas que contraem outras doenças sexualmente transmissíveis se tornam mais susceptíveis de progredirem para SIDA do que as outras pessoa infectadas com VIH.

É inevitável que apanhe o vírus se tiver uma relação sexual não protegida com alguém seropositivo?
Não. Muito embora o sexo não protegido seja a maneira mais fácil de se contrair VIH, nem toda a relação sexual não protegida com alguém seropositivo passa o vírus. A razão para tal é que existe uma diferença entre ser-se exposto ao vírus e realmente ficar infectado por ele.
Assim, se tiveres sexo não protegido com alguém que seja seropositivo, não assumas imediatamente que ficaste infectado/a. Não se sabe bem por que é que isto sucede – pode ter a ver com a concentração de vírus nos fluidos corporais do/a seropositivo/a.
A quantidade de vírus que cada homem apresenta no seu sémen e no seu sangue varia de tempos a tempos. Actualmente, pode ser medida a concentração do vírus no sangue através de um teste chamado teste de carga viral. Se a tua carga viral for baixa – talvez porque as drogas que tomas estão a fazer efeito, diminuindo a taxa a que o vírus se multiplica – isso significa que tens uma baixa concentração de vírus no teu sangue. Contudo, isto não significa necessariamente que a concentração de vírus no teu sémen seja igualmente baixa. Por outras palavras, uma carga viral baixa não significa que sejas menos infeccioso.
Pelo contrário, se fores seropositivo e apresentares outra infecção transmitida sexualmente, tal como gonorreia ou sífilis, ou se tiveres sido infectado pelo VIH muito recentemente, então podes ser extremamente infeccioso – ou seja, podes apresentar concentrações muito elevadas do vírus quer no sangue, quer no sémen.
Ao mesmo tempo, se não fores seropositivo mas apresentares uma doença sexualmente transmissível que não o VIH, podes ser mais susceptível de ser infectado por ele. Pensa-se que os homens não seropositivos que são parceiros activos sem preservativo apresentam um maior risco de contraírem o VIH de um parceiro seropositivo se estiverem infectados com outras doenças sexualmente transmitidas (DSTs).
A questão aqui é que nenhum de vocês saberá necessariamente se o outro é ou não seropositivo. E mesmo que o saibam, nunca saberão quão infeccioso ele/ela é. E mesmo que assumam que é menos infeccioso/a, isso não significa que não seja infeccioso/a de todo.
Dito tudo isto, se por qualquer razão tiveres relações sexuais não protegidas com alguém que seja seropositivo, então não assumas imediatamente que estás infectado. Não entres em pânico e faz o teste. E continua sempre a usar o preservativo.

Pode-se apanhar sida por fazer sexo oral a alguém?
Sim, mas o sexo oral é menos perigoso do que as relações sexuais (activas ou passivas). O risco torna-se ainda menor se, no caso do teu parceiro ser um homem, ele não ejacular na tua boca. Mesmo que o faça, a saliva contém substâncias que inibem a infecção por VIH. Para além disso, a ejaculação não ficará durante muito tempo na tua boca – vais cuspi-la ou engoli-la, certo? E se a engolires o ácido do teu estômago destruirá o vírus.
Mas se a tua boca estiver danificada de algum modo – se sangrares das gengivas (ou tenhas uma infecção como a gengivite – caso em que devias ir ver o dentista), dores de garganta ou uma úlcera na boca (sinal de que estás com gripe ou perto disso) – então devias evitar fazer sexo oral a alguém. E se acabaste de fazer uma cirurgia oral há pouco tempo – como a remoção de um dente, por exemplo, então nem sequer penses nisso antes de teres recuperado totalmente.
As drogas recreativas também podem causar problemas. Esfregar cocaína nas gengivas, por exemplo, pode danificá-las, tornando-te mais susceptível à infecção. E certas drogas – como o ecstasy – podem fazer com que mordas a parte de dentro da tua boca, o que não é certamente uma boa preparação para se fazer sexo oral a quem quer que seja.
Mesmo que a tua boca esteja em perfeitas condições, não escoves os dentes nem uses o fio dental antes de fazeres sexo oral, uma vez que podes facilmente magoar as gengivas. As lavagens bocais são também desaconselhadas, uma vez que podem remover certas substâncias da tua boca que te podem ajudar a proteger contra o VIH. Se quiseres refrescar o teu hálito antes das intimidades experimenta esfregar pasta de dentes nos dentes e gengivas. Ou come um rebuçado. Alguns homens preferem usar preservativo para o sexo oral. A escolha é tua.

Posso apanhar sida por me fazerem sexo oral?
Na prática não, uma vez que a saliva de uma pessoa infectada apresenta concentrações muito diminutas do vírus. Contudo, se a pessoa que te fizer o sexo oral apresentar lesões na boca ou nas gengivas, existe um risco mais elevado de transmissão da infecção

Pode-se contrair sida através das drogas injectáveis?
Só se partilhares as agulhas, caso em que ficas em riso de te injectares com sangue de outra pessoa. Injectares-te com o sangue de uma pessoa infectada é uma maneira infalível de contraíres VIH. E isto é o que pode acontecer se os utilizadores de drogas injectáveis partilharem agulhas.

Se for infectado/a saberei?
Possivelmente. Quando alguém é infectado pelo VIH tende a apresentar sintomas semelhantes aos de uma gripe – sentem-se febris e com o corpo dorido. Contudo, a menos que saibas que poderás ter sido exposto ao VIH, então não associarás o facto de estares com sintomas de gripe ao de estares infectado/a. Provavelmente pensarás apenas que estás com gripe. A única forma de saberes de certeza se estás ou não infectado é fazendo um teste.


Fonte: Sida (VIH) - Os Riscos | Planeamento Familiar

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Gostar de duas pessoas ao mesmo tempo

Mensagem:
Sei que estar a perguntar isto é uma estupidez mas eu não me estou a sentir mesmo nada bem! Há pouco tempo um rapaz mais velho (eu estou no 9.º ano) pediu o meu número e tudo bem falávamos muito como amigos, tudo normal.

Ele tinha namorada, gostava de outra rapariga e dizia que gostava de "curtir" comigo! E eu tudo bem porque ia ser só uma curte mas já gostava dele. Mas no meio disto tudo começo a receber mensagens do irmão mais novo dele (também é mais novo que eu 1 ano) e ficámos muito bons amigos. Eu e o mais velho acabámos por não curtir porque ele dizia que eu falava muito com o irmão dele e que ele (o irmão) só falava comigo para o confrontar. Eu fiquei na minha e continuei a falar com o mais novo e ele disse que gostava de mim.

Quando eu já estava disposta a ter um tipo de relacionamento com o mais novo aparece o mais velho a dizer que me adorava! Fiquei confusa e perguntei que tipo de relacionamento é que ele queria e ele disse que primeiro curtir e depois de 2 semanas se ele não conseguisse nada com a rapariga de quem gostava começava a pensar em namorar comigo (e acabou com a namorada!). Depois disse que o irmão não queria nada comigo e que já tinha feito isto com outras raparigas que ele tinha conhecido e eu ao confrontar o mais novo ele não desmentiu nada mas disse que comigo era muito a sério e já imensa gente me disse que ele gosta imenso de mim mas não tenho a certeza! Que confusão!

Sei que isto parece um atrofio de miúdos mas eu não estou nada bem! Só queria uma opinião que me pudesse ajudar a escolher... porque eu acho que gosto dos dois! Ah! E também gostava de perguntar se será melhor confiar nos rapazes mais velhos ou nos mais novos! Um dos rapazes que costuma estar quase sempre com os dois irmãos diz que o mais novo gosta mesmo de mim mas que tem quase a certeza de que o mais velho não ia gastar dinheiro em mensagens só para gozar com uma pessoa!

Gostava que me ajudassem, nem que fosse só uma opinião para eu organizar as ideias! Obg! =) *


Resposta:
Na verdade, tens aqui uma situação chata... Gostas de qual? Qual gosta (mais) de ti?
Sabes, nós achamos que estas coisas todas passam por se falar directamente com as pessoas... Sem intermediários.
Não é o facto de um deles ser mais novo um ano que pode fazer muita diferença em termos de maturidade.

Esclarece com ambos se gostam mesmo de ti - essa do "curtir para ver se dá" é que é um atrofio... Será que esse rapaz anda desesperado por ter "alguém"? Quanto ao outro, parece que o grande "azar" dele é ter o irmão irmão como rival.

Fala sempre directamente com as pessoas quando tiveres estas questões.
E ouve o teu coração - é que gostares de alguém implica responsabilidades (tu gostares é importante, mas ele gostar é essencial). Ou então, se não tens a certeza, encara estas coisas como um passo na aprendizagem dos afectos. E não te compromentas se não achas que o que sentes é suficientemente forte.

Tudo de bom.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog