segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Como Engravidar Rapidamente e com Facilidade



À medida que as semanas transformam-se em meses você pode começar a perceber a dura verdade, que ficar grávida não é tão fácil como você tinha imaginado.

Mas então como engravidar rapidamente e com facilidade?
Se for a sua primeira vez tentando engravidar, você pode ter passado a maior parte de sua vida tentando “evitar” ficar grávida e mesmo assim com medo de ter ficado…
E bem, agora que chegou o momento você pode perceber que engravidar não é assim tão simples como você pensava.
Existem diversos fatores que podem estar impedindo você de engravidar rapidamente e com facilidade.

Por que Não Consigo Engravidar Rapidamente e com Facilidade?
Pois bem, logisticamente, o momento certo é muito importante. Uma mulher saudável irá ovular apenas uma vez a cada ciclo normalmente liberando um óvulo que precisa ser fecundado dentro de um período de 6 a 12 horas, a fim de engravidar. Este é o principal fator que impede a maioria das jovens saudáveis de engravidar.
O esperma do homem pode sobreviver no interior da mulher entre 2 e 3 dias, a situação ideal para a fertilização é a de que o esperma seja depositado no interior da mulher e fique a espera do óvulo – a maior parte das fertilizações realmente só ocorre na “boca” das trompas de Falópio. Por isso é importante que tenha relações e que saiba calcular o período fértil da mulher.

A qualidade do esperma masculino pode variar muito. Calor ao redor do testículo, o uso de roupa apertada e o excesso de ejaculação são fatores que podem diminuir significativamente a quantidade de espermatozóides ativos e férteis reduzindo a possibilidade de fertilização, não permitindo a você engravidar com facilidade.

Portanto, se um casal teve relações duas vezes por dia todos os dias durante o mês inteiro isso não seria necessariamente tão eficaz quanto ter relações apenas uma vez na hora certa, apenas horas antes que a ovulação ocorra.

Um método eficaz usado por muitos casais é o método gráfico ou método TBC (Temperatura Basal Corporal). Isso envolve basicamente medir diariamente a temperatura vaginal e registar em um gráfico.

Justamente no ponto da ovulação há um aumento significativo da temperatura. Isso, combinado com outros fatores, como a densidade de muco vaginal e possivelmente sensações abdominais serão exibidos quando a ovulação estiver ocorrendo.

Após alguns meses usando esse método de alta precisão, o casal pode prever com elevado grau de certeza quando exatamente a ovulação irá ocorrer e pode assim ter relações apenas algumas horas antes a fim de garantir que a mulher possa engravidar rapidamente e com facilidade.

As principais questões sanitárias que impedem a fertilização incluem fumar e beber, tanto em relação à mulher quanto ao homem. Comer de forma não saudável; a mulher deve certificar-se de estar ingerindo suficiente vitamina B12 (encontrados em carnes, peixes, ovos e leite).

Tomar complementos de ácido fólico também pode ajudar muito. Tomar drogas (incluindo medicamentos prescritos) também é muito prejudicial para o processo de concepção (e para o feto se você continuar durante a gestação). Fumar maconha reduz a quantidade de espermas ativos produzido pelo homem em mais de 50% e os efeitos podem durar por mais de 6 meses.

Todos estes aspectos demonstram quão difícil pode ser a engravidar e talvez você comece a ver que a criação de outra vida humana é realmente um milagre quando você perceber como improváveis as chances de fertilização realmente são. Porém, seguindo as dicas acima você conseguirá engravidar rapidamente e com facilidade.


Fonte: Como Engravidar Rapidamente e com Facilidade | Planeamento Familiar

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog