quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Menstruação: quando dói

Mensagem:
Porque é que temos dores quando estamos com o período?

Resposta:
Em primeiro lugar, há que referir que nem todas as mulheres têm dores durante o período menstrual. No entanto, para algumas mulheres o início da menstruação pode ser realmente doloroso, pois sentem cãibras (cuja intensidade varia) geralmente localizadas no baixo-ventre. Esta dor é provocada pela contracção dos músculos do útero quando se contraem para expelir o revestimento uterino (que constitui o fluxo menstrual).

Se estás entre as mulheres que enfrentam este problema podes tentar relaxar os músculos tomando um duche quente ou colocando um saco de água quente sobre a barriga. O exercício físico (experimenta "fazer bicicleta" deitada de costas) ou um passeio ao ar livre podem ajudar a reduzir as cãibras. Existem também alguns medicamentos que podem ajudar a aliviar a dor mas... não faças automedicação; não experimentes o comprimido "x" ou "y" que resulta tão bem com a tua amiga. Fala com o(a) médico(a) sobre esta questão, ok?

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A Vida de João

Este vídeo apresenta a história de um rapaz e a construção de sua masculinidade da infância até a juventude.



quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Conselhos sobre como engravidar


Parabéns! Tomaram a grande decisão de se tornarem pais. Além de ser uma das etapas mais importantes, se não a mais importante, das vossas vidas, traz muitos desafios. O primeiro é a concepção.

Muitas pessoas pensam que basta deixarem de usar métodos contraceptivos para engravidarem de imediato. Mas o nosso corpo é um pouco mais complicado do que isso e neste guia encontram algumas dicas para conceber mais rapidamente.

Antes de tudo:
A primeira coisa que deve fazer depois de decidir engravidar, é consultar o seu ginecologista. Este é um passo importante, pois terá de ser vacinada contra a Rubéola se ainda não o foi, e começar logo a tomar ácido fólico para prevenir malformações no bebé. O seu ginecologista poderá esclarecer algumas dúvidas que tenha e dar-lhe também alguns conselhos.

Melhor altura:
A melhor altura para ter relações sexuais com o objectivo de engravidar, está dependente do seu ciclo. O período da ovulação dura 6 dias – e é no sexto dia que ocorre a ovulação – este é o seu período mais fértil. Normalmente a ovulação ocorre a meio do ciclo menstrual, o que para a maioria das mulheres é cerca de 14 dias antes da menstruação.

Esta costuma ser a melhor altura para engravidar mas se não está a funcionar consigo, experimente entre os dias 10 e 18 do seu ciclo (sendo o dia 1 o primeiro dia da menstruação), e tenha relações sexuais todos os dias nesse período. Desta maneira as relações sexuais e a ovulação vão quase de certeza coincidir.

Testes de Ovulação:
Se quer ser mais precisa e exacta, pode comprar na farmácia testes de ovulação que calcula se está a ovular através da sua temperatura corporal.
É suposto a sua temperatura aumentar ligeiramente durante a ovulação.
Estes testes podem dizer-lhe com 1 dia de avanço quando será a melhor altura para engravidar.

Quantas vezes?
Uma preocupação de quem está a tentar conceber um bebé é com que frequência deve tentar. É um facto que quanto mais frequentemente o homem ejacula menor será a quantidade de espermatozóides.

Assim, quem está a tentar engravidar, muitas vezes tem relações sexuais poucas vezes para não reduzir a quantidade de espermatozóides. No entanto, isto não é necessário. Mesmo que os espermatozóides possam ser menos, existe uma grande probabilidade de ocorrer a fecundação.

O melhor a fazer é ter relações sexuais quando vos apetecer. Lembrem-se que ter um bebé deve ser algo divertido. Não se concentrem demasiado em quantas vezes ou quando. É claro que quem tem relações sexuais apenas uma vez por semana tem menos hipóteses…

Não estão a conseguir?
Se passado um mês ou dois ainda não estiver grávida, não entre em pânico!

Se estava a tomar a pílula anteriormente, pode demorar algum tempo até o seu ciclo regularizar, o que pode atrasar um pouco a concepção.

Também pode ser mais difícil para as fumadoras engravidar. Se é fumadora reduza o número de cigarros ou deixe de fumar. Se está realmente preocupada com a sua incapacidade de engravidar e nenhum destes conselhos a ajudou, o melhor será consultar o seu ginecologista.

Lembre-se que demora o seu tempo e divirta-se!

Não se concentre demasiado no objectivo de engravidar e vai ver que terá uma boa surpresa quando menos espera.


Fonte: Conselhos sobre como engravidar | Planeamento Familiar

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Masturbação: poderá ser um vício?

Mensagem:
Olá outra vez... O caso agora é outro... Deixem-me perguntar isto apesar de estar muito envergonhado....errr...Como é que se cura o vicio da masturbação? Obrigado.

Resposta:
A masturbação só é vício se for doentio e for mais forte do que tu.
É normal os rapazes (e as raparigas) masturbarem-se mesmo tendo um parceiro certo. Claro que se torna muuuito mais raro. Mas pode suceder.
Curar o vício? É encontrar alguém para partilhar a necessidade de afecto e de vida sexual.

Fica bem.

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Medo de quê?

Desenho animado sem palavras, com 20 minutos de duração, elaborado para provocar reflexões críticas que contribuam para o respeito à diversidade sexual e redução da homofobia entre homens jovens. Marcelo é um garoto que descobre o desejo e afetividade com outro rapaz jovem e o vídeo acompanha parte de sua trajetória.






domingo, 13 de janeiro de 2013

O Acne e a Pílula


O acne pode ser causado por uma série de razões, mas uma das razões principais para que tenha acne é devido a alterações hormonais. Quando as meninas chegam à adolescência, a produção de certas hormonas começa a aumentar e muitas vezes o aparecimento da acne ocorre durante este período. Estas meninas carregam este acne induzido hormonalmente até à vida adulta e algumas podem ter problemas de auto-confiança e auto-estima em resultado disso.

O acne hormonal em mulheres adultas diz-se piorar na altura da sua menstruação, pois é neste período durante o ciclo menstrual natural que um grande desequilíbrio de hormonas no organismo. Estudos mostraram no entanto, que a manipulação hormonal, o que é exactamente o que a pílula anticoncepcional faz, pode ajudar a regular e diminuir os efeitos do acne, por isso falar-se muito sobre o acne e a pílula.

O que a pílula faz para parar o acne?
A pílula combinada contém duas hormonas femininas, estrogênio e progestogênio sintético, e manipula o nível de hormonas no corpo. Ao fazer isso, a pílula regula as hormonas femininas e equilibra-as. Isto significa que existem variações menos graves e surtos de hormonas, que provocam que o acne apareça. As pílulas que são mais eficazes a ajudar a parar o acne, são as que tem níveis reduzidos de androgénios.

Pode a mini-pilula parar o acne?
A mini-pílula não é indicada para ser usada no tratamento do acne. De facto, algumas mulheres viram o estado da sua pele agravar enquanto tomam a mini-pílula, pois um dos efeitos secundários mais comuns são irritações na pele, manchas e erupções cutâneas.


Fonte: O Acne e a Pílula | Planeamento Familiar

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Masturbação: afinal, o que é "isso"?

Mensagem
O que é que é a masturbação?

Resposta
Masturbar-se é dar prazer a si próprio.
Para isso, a lógica é igual a quando se está numa relação a dois. Dar prazer ao outro é acariciar, estimular, pensar no que dá prazer. Masturbar-se é fazer essas coisas a si mesmo(a).

Basicamente, masturbar-se é dar prazer a si próprio, passa por tocar os órgãos genitais e o corpo para sentir prazer, estimular-se sexualmente, pensar em sexo, em quem ou o quê nos excita sexualmente... Descobrir-se e descobrir fontes de prazer.

Bem...
Para se masturbar, basicamente o rapaz pensa em algo/alguém que o excita - ficando excitado, claro - e usa a mão para "imitar" os movimentos que faria/teria numa relação sexual com penetração, normalmente até ejacular. Também pode acariciar-se ou recorrer a outras formas de estimulação.

A rapariga, regra geral, pode masturbar-se manipulando o clitóris e/ou outra área erógena do seu corpo.

quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Masturbação na Adolescência – Saiba como Lidar


O número de relatos que recebemos de pais que se dizem envergonhados e ou até culpadas pelo facto dos seus filhos se masturbarem, é impressionante. Mas é apenas o tabu da “masturbação”, que é tão normal quanto comer um gelado no verão, então, a partir de agora, tratemos este assunto com a normalidade e a maturidade que ele merece.

A masturbação, nada mais é do que o sexo que você faz consigo mesmo. Sendo assim, você não estará apenas tendo um momento de prazer superficial, mas poderá aprender a respeitar mais o seu próprio corpo numa relação a dois, além de descobrir o que lhe dá mais ou menos prazer.

Na adolescência é a fase que começa a descobrir o corpo, e as quantidades de hormônios se duplicam, no qual fazem eles começarem a se masturbar, principalmente quando eles já sabem sobre sexo. Normalmente são sempre os meninos que começam primeiro, só depois as meninas, nesta fase para aliviar a tensão do sexo eles buscam a masturbação de forma solitária.
E não, não são só os adolescentes que se masturbam, muitos adultos ainda fazem parte desta fase, contendo excesso de hormônio, ou por falta de parceiros (as). Se tem um filho ou uma filha, e já os viu a masturbar-se, isso é totalmente normal, está é a fase do conhecimento do corpo e do prazer, não leve isso como uma falta de respeito e sim como um conhecimento do corpo e dos desejos.

Em outros casos, a masturbação pode vir como tentativa de solução para outros problemas. No caso dos rapazes, os que sofrem de ejaculação precoce, por exemplo, podem utilizar a masturbação para trabalhar o problema.

Já nas raparigas, a masturbação – que antes da perda da virgindade NÃO PODE ser realizada com penetração, seja de dedos ou de qualquer outro objeto – pode vir a calhar para as que sofrem com a dificuldade de atingir o orgasmo – o que é muito comum – já que a masturbação, principalmente no caso das mulheres, tende a estimular descobertas sobre a vagina.

A masturbação pode ser uma amiga importante, desde que seja feita com maturidade, e com a vontade necessária.

Fonte: Masturbação na Adolescência – Saiba como Lidar | Planeamento Familiar

terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Masturbação: afecta desenvolvimento dos órgãos sexuais masculinos?

Mensagem:
Gostaria de saber se a masturbação masculina antes da puberdade completa ou seja em que o desenvolvimento sexual masculino está no seu início, pode atrasar ou prejudicar o crescimento normal dos orgãos sexuais masculinos (volume dos testículos e tamanho do pénis).

Resposta:
A masturbação é um acto natural e só prejudica o desenvolvimento quando assume um carácter doentio: o exagero incontrolado ou a total ausência.

Normalmente não influi no desenvolvimento (puberdade e adolescência), até porque, antes da puberdade, o desejo sexual é praticamente insignificante.
O tamanho do pénis e dos testículos têm mais a ver com questões genéticas do que com a prática da masturbação.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog