sábado, 23 de fevereiro de 2013

TPM – Tensão Pré-Menstrual


A TPM (tensão pré-menstrual) é um conjunto de sintomas físicos, psicológicos e emocionais que muitas mulheres sentem, geralmente de 1 a 2 semanas antes do ciclo menstrual.

Durante cada ciclo menstrual, o organismo da mulher sofre importantes modificações no nível de seus hormônios sexuais, especialmente estradiol e progesterona.

Tais modificações hormonais podem causar efeitos físicos e psicológicos, tais como: alterações de humor, sensibilidade nos seios, dor de cabeça, ansiedade, insónia e outros.

Causas da TPM
A causa mais comum da TPM está relacionada às alterações bioquímicas nos níveis dos hormônios sexuais estrogênio e progesterona. Essas oscilações hormonais podem causar retenção de líquido e de sal no organismo.

Deficiências vitamínicas (como de vitamina B6) ou de ácidos graxos (como o ácido linoléico); assim como hábitos alimentares, estilo de vida, ausência de atividades físicas e stress também podem estar relacionados aos sintomas. Isso por que, ao se fazerem complementações vitamínicas e mudanças no estilo de vida, foram observadas melhoras nos sintomas da TPM.

Sintomas da TPM
As condições para o surgimento dos sintomas são múltiplas e variam em cada organismo:

- Depressão e pensamentos negativos
- Ansiedade, tensão, nervosismo, excitação
- Fraqueza afectiva, tristeza repentina, choro fácil, sentimento de rejeição
- Raiva ou irritabilidade persistente, aumento dos conflitos interpessoais
- Dificuldade de concentração
- Cansaço, fadiga fácil, falta de energia
- Acentuada alteração do apetite
- Distúrbios do sono
- Sensação de estar fora do próprio controle
- Inchaço e/ou sensibilidade mamária aumentada
- Dor de cabeça
- Dores musculares
- Ganho de peso ou sensação de inchaço

Tratamento da TPM
Por se tratar de uma síndrome, não existe tratamento 100% eficaz já que os sintomas variam muito para cada mulher. Entretanto, existem medidas que ajudam muito:

- Como a TPM está ligada à ovulação, muitas mulheres podem se beneficiar do uso da pílula anticoncepcional (que suspende a ovulação).
- Opte por alimentos mais saudáveis, incluindo na sua dieta mais verduras e frutas, além de praticar actividades físicas.
- Desintoxicação do fígado. O objectivo da desintoxicação é evitar um desequilíbrio nos níveis hormonais, principalmente entre o estrogênio e a progesterona. As funções metabólicas do fígado são muitas: ele está directamente envolvido no metabolismo dos carboidratos, gorduras e proteínas, além de armazenar vitaminas e minerais na produção de colesterol e hormônios.
-A desintoxicação inclui aumento da ingestão de líquidos, fibras, frutas e vegetais. Além disso, deve-se evitar a ingestão de alimentos que aumentam a formação de toxinas, como carnes gordurosas, açúcar, álcool e cafeína em excesso.
- Experimente suplementos multivitamínicos; ou opte pelos específicos, como vitamina B6, cálcio, óleo de prímula, magnésio, ginkgo biloba, proteína de soja, isoflavonas e vitamina E.
- Auto percepção, auto-conhecimento e ajuda mútua são pontos básicos para se resolver os conflitos gerados pela TPM, trazendo melhora significativa na qualidade da vida pessoal, profissional, familiar e social.


Fonte: TPM - Tensão Pré-Menstrual | Planeamento Familiar

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Orgasmo e a "mística" associada

Mensagem:
Olá pessoal! Tudo bem com vocês?! Bem, eu costumo visitar o vosso site frequentemente, porque como atenta que sou (ou faço por ser!) às actualidades, gosto de me manter informada, não só em termos de exercícios escolares, como também alguns passatempos que vocês propõem...

A área da Educação Sexual seja talvez aquela que mais atenção desperta... Não é que me considere uma ignorante no assunto, mas acho que é sempre bom tentarmos saber se existe algo que nos passa ao lado! E é também esse motivo que me levou a escrever-vos.

Tenho 16 anos e namoro com um rapaz de 17. É a pessoa mais adulta que eu conheço da minha geração e jamais me faria passar por algo que eu não quisesse. Disso estou certa! Tenho uns pais um bocadinho protectores e, até há 13 meses, nunca me tinha esforçado sequer para eles aceitarem alguma relação minha com outra pessoa, talvez porque não era levada muito a sério e também porque não havia força para tal!

Mas desde que conheci o X, tudo isso mudou, ele fez-me ver que se era mesmo isto que queríamos, porque não tentar? E sim, deu-me bastante força para chegarmos ao ponto em que hoje estamos... Os meus pais sabem da nossa relação e aceitam-na, com alguma apreensão é certo, mas não são contra! Também lhes demonstrei que isso não iria interferir no meu rendimento escolar e talvez tenha sido uma ajuda! Bom, agora que sabem um bocadinho da minha história, vou chegar ao centro da questão (Devem pensar: "Até que enfim!" ... Desculpem =/).

Bem, nós damo-nos super bem, tanto a nível emocional como a nível físico. Sempre tivemos uma grande atracção um pelo outro e há cerca de duas semanas iniciámos uma relação mais profunda, se é que me faço entender! A verdade é que já tinhamos tido alguns encontros 'picantes', mas dessa vez perdemos a cabeça... e a virgindade também! Não foi bem perder a cabeça, aliás fizemos tudo com muita cabeça, protegemo-nos e respeitámo-nos mutuamente.

Tentamos mantermo-nos informados acerca de todos os cuidados e riscos que corremos e, acima de tudo, falamos do que 'nos vai na alma'. Se existe algo que nos preocupa ou que não gostamos, dizêmo-lo simplesmente. Tudo com calma, claro! Resumindo, foi uma experiência espectacular e nunca me vou arrepender do que aconteceu entre nós, mesmo que algum dia a nossa relação termine, apesar de sermos muito unidos. Não atingi o climax, é certo...

Das duas vezes que estivemos juntos, sangrei um bocadinho, mais na segunda, para meu espanto! Não temos problema nenhum em falarmos disso, de todo! Nem sequer eu me importo de não atingir o orgasmo pela penetração como ele... Aliás sinto-me realizada quando acontece com ele! É assim muito único, todo o carinho nos preliminares, todo o cuidado em perguntar se estou bem, se não e depois aquela emoção reflectida na cara dele... É gratificante! Como ainda não atingi o meu ponto alto, não sei bem o que perco... Acredito que é melhor quando podemos partilhar os dois do mesmo, mas não sei quando vai acontecer... Talvez porque não sei bem o que esperar... Será normal?

Pelo que li, dizem que é normal as raparigas não atingirem muito prazer nas primeiras vezes, mas, por mais que eu lhe explique que não faz mal, que isso virá com o tempo, ele fica um bocadinho apreensivo... e por vezes eu também! Para dizer a verdade, não tinha muito a necessidade (tinha?) de vir aqui falar com vocês, porque já conversámos sobre isso e só queremos sentir-nos bem um com o outro. Se eu não me importo realmente com o 'problema', ele também pode ficar descansado. Mas faltará muito? Bem, desculpem o 'testamento', mas parece que vocês tomaram o lugar do diário que não tenho :-) A diferença é que vocês podem responder! Já o diário é complicado :-P * Beijinho e obrigada.


Resposta:
Foi muito bom recebermos o teu e-mail.
É sempre saboroso recebermos um texto tão bem escrito e tão cheio de boas experiências - porque a maior parte dos que nos escrevem têm problemas e dúvidas mais ou menos complexos. E vocês ainda por cima amam-se, respeitam-se e protegem-se! Boa!

Quanto à questão que nos colocas, é natural que essas sensações que procuras, o tão famoso orgasmo, demorem a surgir. Tudo depende das pessoas, e não tem a ver com nada estar certo ou errado. Tem a ver com cada um e com o sentir de cada um.

Enquanto nos homens o orgasmo é quase algo automático que acompanha a ejaculação, no caso das mulheres é mais complicado.
Para além disso, vivemos rodeados de orgasmos "longos", "profundos" e "sentidos", acompanhados de gemidos, gritos, urros ou sons afins quando vemos sexo num filme ou na TV, ou ouvimos descrições...
É a imagem (mítica e romanceada) que nos é transmitida e que procuramos imitar e alcançar...

Lamentamos desapontar-te (caso seja o caso), mas o orgasmo é um momento mais para o curto do que para o longo, mais para o raro do que para o comum - mas que as mulheres "querem" que esteja sempre presente no acto sexual (como nos homens).

Felizmente é um desejo legítimo, e atingir esse clímax «aprende-se» com o tempo, a experiência, com o conhecimento que se vai tendo do parceiro e de si - do que dá mais prazer (como, quando, onde...).
Mas lê. (Agora apelamos nós à tua paciência.)

Enquanto os homens têm uma "evolução" no acto sexual mais "explosiva" (lembra-te do objectivo primário do acto sexual), as mulheres, pela mesma razão funcionam de modo diferente.
Numa sociedade que privilegia o acto pelo prazer e não pela procriação, é legítimo que se procure esse prazer para os dois, só que a mulher leva tempo a "aquecer".
E o homem, se a ama e respeita e lhe quer dar prazer, deve tentar ao máximo abrandar o seu ritmo natural para maximizar o prazer dela.

Acredita que, quanto mais vocês se conhecerem ao nível afectivo e quanto mais tu te conheceres a esse nível, mais perto estarás de um dia, quando menos esperares, sentires o que desejas.
Tudo passa pelo carinho, pelos preliminares, pela comunicação do prazer/desprazer e pela entrega - e pela experiência.

E - o mais importante - é não fazeres (fazerem) disso o objectivo da vossa relação sexual.
Não pensem nisso quando estão juntos: é a melhor maneira de nada acontecer.

Tudo de bom.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Pílula Contraceptiva – FAQ


Tens aqui algumas das perguntas mais frequentes que vocês costumam colocar sobre a pílula. Podes ir já para a resposta que pretendes mas se quiseres aprender mais sobre a pílula podes seguir a ordem que te propomos.

A Pílula Contraceptiva
Mais de 60 milhões de mulheres utilizam este método contraceptivo sendo o método em relação ao qual mais estudos têm sido realizados.

A pílula é um método contraceptivo que consiste num comprimido oral, composto por hormonas idênticas às que produzem os ovários.

A pílula é um método contraceptivo muito eficaz e seguro se usada correctamente. Protege de uma gravidez indesejada. O teu Médico (a) recomendará qual é a mais conveniente para ti.

O que é a pílula contraceptiva e como funciona?
A pílula é composta de hormonas similares às que a mulher produz nos ovários. O seu principal mecanismo consiste em evitar que se dê a ovulação. Ao não se dar a ovulação, não é possível a fecundação e consequentemente a gravidez.

Por outro lado a pílula modifica a mucosa do útero para que este não fique em condições de acolher um óvulo que tenha sido eventualmente fecundado. O outro mecanismo de funcionamento da pílula é que ela provoca um espessamento do muco cervical dificultando a passagem dos espermatozóides.

Quando é que se deve começar a tomar a pílula pela primeira vez?
A pílula deve começar a tomar-se no 1º dia da menstruação. Ao olhares para a embalagem deves escolher como primeiro comprimido a tomar um que coincida com o dia da semana em que vais iniciar a toma da pílula. 

Depois continuas a tomar um por dia, de preferência sempre à mesma hora, pois facilita não te esqueceres, seguindo as setas que se encontram impressas na embalagem. Na maioria das pílulas após uma toma diária em 21 dias consecutivos, faz-se uma pausa de 7 dias.

Este período de pausa corresponde ao período menstrual induzido pela pílula. Na maioria das mulheres as perdas menstruais durante estes 7 dias são inferiores às que ocorrem se não se estiver a tomar a pílula.

Ao fim destes 7 dias começa-se a tomar novamente a pílula (primeiro comprimido de uma nova embalagem) começando no mesmo dia da semana em que pela primeira vez se tomou a pílula. Este início da nova embalagem faz-se ao fim de 7 dias mesmo que eventualmente ainda não tenha terminado o período.

Quando se começa uma pílula deve fazer-se descansos?
Sem ser por razões médicas (intolerância clínica ou biológica) não existem razões para fazer descansos. Tais descansos não evitam os efeitos secundários da pílula, dificultam a regulação hormonal e aumentam a probabilidade de engravidares já que nos descansos pode haver tendência para esquecimentos ou a utilizar métodos pouco fiáveis.

O que acontece se houver um esquecimento da pílula?
A pílula contraceptiva deve tomar-se sempre à mesma hora. Se houve um esquecimento e este é inferior a 12 horas deves tomar imediatamente a pílula que está em atraso e nesse mesmo dia tomas a outra pílula à hora habitual.

Exemplo – Toma da pílula às 21 horas. Houve um esquecimento. No outro dia de manhã às 08H00 lembras-te. Tomas imediatamente a pílula que estava em atraso e neste mesmo dia às 21 horas tomas a pílula do dia. Tudo segue normalmente.

Se o esquecimento é superior a 12 horas (por exemplo se só te lembras às 10 horas da manhã do dia seguinte) tomas a pílula em esquecimento e a outra à hora habitual (21 horas) como no caso anterior só que já não estás protegida contra uma gravidez indesejada. Isto significa que tens de continuar a tomar a embalagem até ao fim para evitares a desregulação do ciclo e ou de pequenas perdas menstruais. 

Se vieres a ter relações sexuais durante este período tens que utilizar outro método contraceptivo, por exemplo o preservativo. Aliás este é o único que te protege de infecções sexualmente transmissíveis como a sida.

O que acontece se estiver a tomar a pílula e vomitar, ou tiver diarreia?
A pílula contraceptiva é absorvida como os alimentos fazendo o mesmo percurso que os alimentos aquando de uma digestão. Isto significa que leva em média 3 a 4 horas a ser absorvida pela corrente sanguínea como acontece com a digestão dos alimentos. Se por alguma razão vomitares num período até 4 horas após teres tomado a pílula tens que repetir a toma da pílula. Neste dia vais ter que tomares 2, pois a primeira não fez efeito.

É preferível até que tenhas uma embalagem suplente e que tomes um comprimido dessa embalagem para não haver confusão com o esquema habitual.

Se passaram mais de 4 horas desde que tomaste a pílula não deves ficar preocupada pois não foi alterada a sua eficácia contraceptiva. Em relação a diarreia é igual pois esta pode acelerar o trânsito intestinal e não permite a absorção da pílula. Neste caso deves usar outro método adicional (preferencialmente o preservativo) até a situação se resolver.

E se estiver a tomar medicamentos?
A maioria dos medicamentos não interfere com a pílula. Contudo se estiveres a tomar antibióticos, alguns deles podem reduzir a eficácia da pílula. Informa o teu médico para que ele te aconselhe o que fazer se estiveres a tomar medicamentos. Igualmente deves informar o teu médico que já tomas a pílula se ele te for receitar algum medicamento.

Quais são os benefícios da Pílula Contraceptiva?
- Regulariza os ciclos menstruais: Nem muito longos, nem muitos curtos. (Um ciclo menstrual vai desde o primeiro dia de uma menstruação até ao primeiro dia da menstruação seguinte);
- Reduz ou eliminas as dores e a tensão pré-menstrual antes e durante o período menstrual;
- Diminui a quantidade da menstruação, prevenindo desta forma a incidência de anemia por privação;
- É um método reversível. Uma vez que se pare com a pílula volta a ovulação e a possibilidade de se engravidar;
- Oferece uma eficácia de 99,9% se tomada de uma forma correcta;
- É um método discreto e não interfere com as relações sexuais;
- Algumas pílulas melhoram algumas alterações da pele como a acne;
- Diminui a incidência de cancro do útero (endométrio) e do ovário;
- Diminui a ocorrência de Doença Inflamatória Pélvica;
- Reduz (a incidência) as doenças benignas da mama.

E as Desvantagens?
A Pílula tal como outros métodos contraceptivos também tem contra-indicações e ou desvantagens. Por exemplo, não protege em relação às doenças sexualmente transmissíveis como a SIDA.

Como seria exaustivo estar aqui a descrever-te todos e como achamos que esta página não dispensa conversar com técnicos de saúde especializados (médicos de família, enfermeiras, ginecologistas etc.) apenas em síntese referimos como contra-indicações:

- Existência de história de trombose venosa, doenças do coração (como por exemplo doença da artéria coronária) e hipertensão arterial grave;
- Cancro da mama em curso ou qualquer outro cancro dependente de esteróides;
- Diabetes Mellitus de difícil controlo e insulino-dependente;
- Qualquer hemorragia do tracto genital não diagnosticada tem que primeiro ser investigada antes do início da toma da pílula ou de outros métodos contraceptivos.

Quanto tempo depois de iniciar a pílula pela primeira vez estou protegida?
Se começares a tomar a pílula no primeiro dia da menstruação estás protegida de engravidar desde o início incluindo nos sete dias de descanso quando a primeira embalagem termina.

Se iniciares a pílula numa outra altura do ciclo é preferível usares outro método contraceptivo durante a toma da pílula durante a primeira embalagem.

Quando iniciares a segunda embalagem passada a pausa já estás seguramente protegida.


Fonte: Pílula Contraceptiva - FAQ | Planeamento Familiar

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Namorar: só as raparigas bonitas?

Mensagem:
Só as raparigas feias é que vêm ter comigo. Não sei o que fazer.

Resposta:
Será que são mesmo feias? Será que não são miúdas interessantes e fixes e carinhosas, para além da parte física? Será que não é também fixe andar com alguém "normal"?
E tu, és considerado como um rapaz muito bonito?
Acredita: quando tu realmente sentires algo por alguém, vais descobrir que ser "feia" ou "bonita" vais ser o menos. E ela achará o mesmo de ti.

(Por outro lado, andar só com as populares e bonitas pode ser um stress, com todos os teus outros colegas doidos de inveja e a tentarem também "caçá-las"...)

Fica bem!

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Mitos Sexuais – Parte 1


No sexo o que conta é o desempenho.
FALSO: Quando se inicia uma relação sexual, a concentração deve ser dirigida ao processo em si, às sensações, ao envolvimento emocional e sexual, do que propriamente aos objetivos, na medida em que colocar o foco no resultado final poderá ser a causa de um problema sexual devido, por exemplo, à ansiedade de desempenho.

Qualquer contacto físico deve conduzir ao sexo.
FALSO: Toda a sensualidade e intimidade física (e.g. carinhos, beijos, massagem, dançar, tomar banho em conjunto, abraçar, entre outros, sem envolver contacto com genitais) são tão importantes e respeitáveis como a sexualidade focalizada na genitália, sendo uma parte adequada da relação de qualquer casal.

Os homens podem expressar os seus sentimentos e emoções.
VERDADEIRO: Os homens podem, como devem, ou seja, não só têm esse direito como são capazes de expressar os seus sentimentos e emoções de forma natural. A expressão “um homem não chora” deverá ser superada, para que os homens consigam desenvolver esta capacidade, uma vez que são estas mensagens que impedem o indivíduo de demonstrar o que sente e pensa. Não se esqueça que, como as mulheres, eles têm a capacidade de ser afetuosos e sensíveis.

A masturbação é causa de doenças graves.
FALSO: Durante anos a masturbação foi utilizada como “bode expiatório” para um conjunto de doenças, como a infertilidade, disfunção erétil, loucura, acne, entre outros. Porém, não existe nenhuma base clínica e científica que sustente esta crença: não existe qualquer relação entre estas doenças e a atividade de masturbação. De facto, a masturbação é um comportamento sexual comum importante para a saúde sexual.

As mulheres têm menos desejo sexual que os homens.
FALSO: Varia de indivíduo para indivíduo. Existem mulheres com maior desejo sexual quando comparadas com os homens e vice-versa. O problema é que durante anos, e atualmente em algumas culturas, as mulheres foram reprimidas a expressar o seu desejo sexual, assim como o seu prazer.

O desejo sexual diminui com a idade.
FALSO: Podem existir variações, mas, se não houver nenhum problema de cariz sexual, habitualmente, o desejo sexual acompanha o indivíduo até à sua morte.

As mulheres não gostam de pornografia.
FALSO: Este mito encontra-se associado à repressão sexual. De facto, a imagem de que as mulheres só gostam de contextos românticos é falsa, como o é a imagem do homem que está sempre pronto para ter relações e que pensa em sexo de 7 em 7 segundos.

Se a mulher não sangra na primeira relação sexual, é sinónimo de que não é virgem.
FALSO: O sangramento na primeira relação sexual não é um sinal de virgindade. Se a mulher for suficientemente estimulada e se houver lubrificação vaginal no momento prévio à penetração, não existe motivo para haver qualquer tipo de sangramento ou de dor.

A infidelidade é sinónimo de que o/a parceiro/a não me ama.
FALSO: Não significa necessariamente que não o/a ame. Contudo, a infidelidade associa-se à falta de respeito para consigo e para com a vossa relação.

Existe uma idade para o indivíduo iniciar a sua vida sexual, ou seja, para tornar-se sexualmente ativo.
FALSO: O início da atividade sexual não depende da idade, apesar da “idade de consentimento informado” ser, no nosso país (Portugal), de 16 anos. O indivíduo deve tornar-se sexualmente ativo quando se sentir preparado para tal. Não se deve iniciar a vida sexual só para se agradar ao/à parceiro/a ou para ceder à pressão dos amigos, o que é frequente na adolescência. Até porque, em termos psicológicos, a atividade sexual é o símbolo máximo de independência e maturidade.

Na primeira relação sexual não existe risco da mulher engravidar.
FALSO: é um dos mitos mais comuns e prejudiciais levando o sujeito a cometer erros. Se a mulher estiver no período fértil durante a relação sexual, a gravidez pode acontecer independentemente de ser a primeira ou a 24ª relação e, independentemente, da posição sexual.

Fonte: Mitos Sexuais – Parte 2 | Planeamento Familiar

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Namorado mais velho

Mensagem:
Gostaria que me dissessem o que hei de fazer para conquistar um rapaz. Ele é mais velho cerca de 15 anos, talvez. Aqui há uns meses atrás ele estava interessado em mim mas eu dei-lhe uma tampa porque pensei que era um palerma mais velho armado em bom.
No entanto, com o passar do tempo fui-me apercebendo que também gostava dele. Tentei aproximar-me dele há pouco tempo e trocámos olhares e ele olhou para mim. Pensei que ele iria reagir com ressentimento mas não, olhou para mim de forma atenciosa e eu também. Ele ainda está receptivo. Ajudem-me a conquistá-lo por favor, já que ainda só trocámos poucas palavras.
Já agora, ele é gestor, é bastante educado e parece ser inteligente. O que poderá despertar a atenção de alguém de trinta e poucos anos?? Gostaria muito que me respondessem depressa por favor, com carinho de uma fã do vosso site.

Resposta
Sabes, nós não temos preconceitos sobre uma diferença de idades acentuada, mas é importante estares alerta para duas coisas (pelo menos):
1. O que vês tu realmente nele?
Um adulto que te dá segurança, carinho, atenção e que já tem a vida estruturada?
Ou uma potencial relação afectiva consistente?

2. O que vê ele realmente em ti?
Uma miúda ainda pouco experiente, sem "vícios", jovem, que procura atenção e carinho?
Ou uma relação afectiva estruturada?

Analisa bem se a vossa relação é genuína, se o que sentes por ele é o que ele sente por ti, se procuram o mesmo da vida, se ele gosta mesmo de ti ou se está a ser, como dizes, educado e paternalista.
Não embarques nas coisas sem pensar com a cabeça, só levada pelo coração.
Quanto à "conquista": ele tem de gostar de ti como és, não vale a pena fingires ser outra pessoa ou usares "tácticas" que não reflectem a tua personalidade. Sê como és, abre os olhos, usa a cabeça e...
Boa sorte!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog