quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Pílula Contraceptiva – FAQ


Tens aqui algumas das perguntas mais frequentes que vocês costumam colocar sobre a pílula. Podes ir já para a resposta que pretendes mas se quiseres aprender mais sobre a pílula podes seguir a ordem que te propomos.

A Pílula Contraceptiva
Mais de 60 milhões de mulheres utilizam este método contraceptivo sendo o método em relação ao qual mais estudos têm sido realizados.

A pílula é um método contraceptivo que consiste num comprimido oral, composto por hormonas idênticas às que produzem os ovários.

A pílula é um método contraceptivo muito eficaz e seguro se usada correctamente. Protege de uma gravidez indesejada. O teu Médico (a) recomendará qual é a mais conveniente para ti.

O que é a pílula contraceptiva e como funciona?
A pílula é composta de hormonas similares às que a mulher produz nos ovários. O seu principal mecanismo consiste em evitar que se dê a ovulação. Ao não se dar a ovulação, não é possível a fecundação e consequentemente a gravidez.

Por outro lado a pílula modifica a mucosa do útero para que este não fique em condições de acolher um óvulo que tenha sido eventualmente fecundado. O outro mecanismo de funcionamento da pílula é que ela provoca um espessamento do muco cervical dificultando a passagem dos espermatozóides.

Quando é que se deve começar a tomar a pílula pela primeira vez?
A pílula deve começar a tomar-se no 1º dia da menstruação. Ao olhares para a embalagem deves escolher como primeiro comprimido a tomar um que coincida com o dia da semana em que vais iniciar a toma da pílula. 

Depois continuas a tomar um por dia, de preferência sempre à mesma hora, pois facilita não te esqueceres, seguindo as setas que se encontram impressas na embalagem. Na maioria das pílulas após uma toma diária em 21 dias consecutivos, faz-se uma pausa de 7 dias.

Este período de pausa corresponde ao período menstrual induzido pela pílula. Na maioria das mulheres as perdas menstruais durante estes 7 dias são inferiores às que ocorrem se não se estiver a tomar a pílula.

Ao fim destes 7 dias começa-se a tomar novamente a pílula (primeiro comprimido de uma nova embalagem) começando no mesmo dia da semana em que pela primeira vez se tomou a pílula. Este início da nova embalagem faz-se ao fim de 7 dias mesmo que eventualmente ainda não tenha terminado o período.

Quando se começa uma pílula deve fazer-se descansos?
Sem ser por razões médicas (intolerância clínica ou biológica) não existem razões para fazer descansos. Tais descansos não evitam os efeitos secundários da pílula, dificultam a regulação hormonal e aumentam a probabilidade de engravidares já que nos descansos pode haver tendência para esquecimentos ou a utilizar métodos pouco fiáveis.

O que acontece se houver um esquecimento da pílula?
A pílula contraceptiva deve tomar-se sempre à mesma hora. Se houve um esquecimento e este é inferior a 12 horas deves tomar imediatamente a pílula que está em atraso e nesse mesmo dia tomas a outra pílula à hora habitual.

Exemplo – Toma da pílula às 21 horas. Houve um esquecimento. No outro dia de manhã às 08H00 lembras-te. Tomas imediatamente a pílula que estava em atraso e neste mesmo dia às 21 horas tomas a pílula do dia. Tudo segue normalmente.

Se o esquecimento é superior a 12 horas (por exemplo se só te lembras às 10 horas da manhã do dia seguinte) tomas a pílula em esquecimento e a outra à hora habitual (21 horas) como no caso anterior só que já não estás protegida contra uma gravidez indesejada. Isto significa que tens de continuar a tomar a embalagem até ao fim para evitares a desregulação do ciclo e ou de pequenas perdas menstruais. 

Se vieres a ter relações sexuais durante este período tens que utilizar outro método contraceptivo, por exemplo o preservativo. Aliás este é o único que te protege de infecções sexualmente transmissíveis como a sida.

O que acontece se estiver a tomar a pílula e vomitar, ou tiver diarreia?
A pílula contraceptiva é absorvida como os alimentos fazendo o mesmo percurso que os alimentos aquando de uma digestão. Isto significa que leva em média 3 a 4 horas a ser absorvida pela corrente sanguínea como acontece com a digestão dos alimentos. Se por alguma razão vomitares num período até 4 horas após teres tomado a pílula tens que repetir a toma da pílula. Neste dia vais ter que tomares 2, pois a primeira não fez efeito.

É preferível até que tenhas uma embalagem suplente e que tomes um comprimido dessa embalagem para não haver confusão com o esquema habitual.

Se passaram mais de 4 horas desde que tomaste a pílula não deves ficar preocupada pois não foi alterada a sua eficácia contraceptiva. Em relação a diarreia é igual pois esta pode acelerar o trânsito intestinal e não permite a absorção da pílula. Neste caso deves usar outro método adicional (preferencialmente o preservativo) até a situação se resolver.

E se estiver a tomar medicamentos?
A maioria dos medicamentos não interfere com a pílula. Contudo se estiveres a tomar antibióticos, alguns deles podem reduzir a eficácia da pílula. Informa o teu médico para que ele te aconselhe o que fazer se estiveres a tomar medicamentos. Igualmente deves informar o teu médico que já tomas a pílula se ele te for receitar algum medicamento.

Quais são os benefícios da Pílula Contraceptiva?
- Regulariza os ciclos menstruais: Nem muito longos, nem muitos curtos. (Um ciclo menstrual vai desde o primeiro dia de uma menstruação até ao primeiro dia da menstruação seguinte);
- Reduz ou eliminas as dores e a tensão pré-menstrual antes e durante o período menstrual;
- Diminui a quantidade da menstruação, prevenindo desta forma a incidência de anemia por privação;
- É um método reversível. Uma vez que se pare com a pílula volta a ovulação e a possibilidade de se engravidar;
- Oferece uma eficácia de 99,9% se tomada de uma forma correcta;
- É um método discreto e não interfere com as relações sexuais;
- Algumas pílulas melhoram algumas alterações da pele como a acne;
- Diminui a incidência de cancro do útero (endométrio) e do ovário;
- Diminui a ocorrência de Doença Inflamatória Pélvica;
- Reduz (a incidência) as doenças benignas da mama.

E as Desvantagens?
A Pílula tal como outros métodos contraceptivos também tem contra-indicações e ou desvantagens. Por exemplo, não protege em relação às doenças sexualmente transmissíveis como a SIDA.

Como seria exaustivo estar aqui a descrever-te todos e como achamos que esta página não dispensa conversar com técnicos de saúde especializados (médicos de família, enfermeiras, ginecologistas etc.) apenas em síntese referimos como contra-indicações:

- Existência de história de trombose venosa, doenças do coração (como por exemplo doença da artéria coronária) e hipertensão arterial grave;
- Cancro da mama em curso ou qualquer outro cancro dependente de esteróides;
- Diabetes Mellitus de difícil controlo e insulino-dependente;
- Qualquer hemorragia do tracto genital não diagnosticada tem que primeiro ser investigada antes do início da toma da pílula ou de outros métodos contraceptivos.

Quanto tempo depois de iniciar a pílula pela primeira vez estou protegida?
Se começares a tomar a pílula no primeiro dia da menstruação estás protegida de engravidar desde o início incluindo nos sete dias de descanso quando a primeira embalagem termina.

Se iniciares a pílula numa outra altura do ciclo é preferível usares outro método contraceptivo durante a toma da pílula durante a primeira embalagem.

Quando iniciares a segunda embalagem passada a pausa já estás seguramente protegida.


Fonte: Pílula Contraceptiva - FAQ | Planeamento Familiar

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares

Objectivo Mínimos da Ed.Sexual (por Ciclo)

1.º ciclo (1.º ao 4.º anos)

- Noção de corpo;

- O corpo em harmonia com a Natureza e o seu ambiente social e cultural;

- Noção de família;

- Diferenças entre rapazes e raparigas;

- Protecção do corpo e noção dos limites, dizendo não às
aproximações abusivas.


2.º ano
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor deve esclarecer os alunos sobre questões e dúvidas que surjam naturalmente, respondendo de forma simples e clara.


3.º e 4.º anos
- Para além das rubricas incluídas nos programas de meio físico, o professor poderá desenvolver temas que levem os alunos a compreender a necessidade de proteger o próprio corpo, de se defender de eventuais aproximações abusivas, aconselhando que, caso se deparem com dúvidas ou problemas de identidade de género, se sintam no direito de pedir ajuda às pessoas em quem confiam na família ou na escola.


2.º ciclo (5.º e 6.º anos)
- Puberdade — aspectos biológicos e emocionais;

- O corpo em transformação;

- Caracteres sexuais secundários;

- Normalidade, importância e frequência das suas variantes
biopsicológicas;

- Diversidade e respeito;

- Sexualidade e género;

- Reprodução humana e crescimento; contracepção e
planeamento familiar;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas;

- Dimensão ética da sexualidade humana.


3.º ciclo (7.º ao 9.º anos)
- Dimensão ética da sexualidade humana:

- Compreensão da sexualidade como uma das componentes
mais sensíveis da pessoa, no contexto de um projecto de vida que integre valores (por exemplo: afectos,ternura, crescimento e maturidade emocional, capacidade de lidar com frustrações, compromissos, abstinência voluntária) e uma dimensão ética;

- Compreensão da fisiologia geral da reprodução humana;

- Compreensão do ciclo menstrual e ovulatório;

- Compreensão do uso e acessibilidade dos métodos contraceptivos e, sumariamente, dos seus mecanismos de acção e tolerância (efeitos secundários);

- Compreensão da epidemiologia das principais IST em Portugal e no mundo (incluindo infecção por VIH/vírus da imunodeficiência humana — HPV2/vírus do papiloma humano — e suas consequências) bem como os métodos de prevenção.

- Saber como se protege o seu próprio corpo, prevenindo a violência e o abuso físico e sexual e comportamentos sexuais de risco, dizendo não a pressões emocionais e sexuais;

- Conhecimento das taxas e tendências de maternidade e da paternidade na adolescência e compreensão do respectivo significado;

- Conhecimento das taxas e tendências das interrupções voluntárias de gravidez, suas sequelas e respectivo significado;

-Compreensão da noção de parentalidade no quadro de uma saúde sexual e reprodutiva saudável e responsável;

- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Ensino secundário
- Compreensão ética da sexualidade humana.

- Sem prejuízo dos conteúdos já enunciados no 3.º ciclo,sempre que se entenda necessário, devem retomar -se temas previamente abordados, pois a experiência demonstra
vantagens de se voltar a abordá -los com alunos que, nesta
fase de estudos, poderão eventualmente já ter iniciado a vida sexual activa. A abordagem deve ser acompanhada por uma reflexão sobre atitudes e comportamentos dos
adolescentes na actualidade:

- Compreensão e determinação do ciclo menstrual em geral, com particular atenção à identificação, quando possível, do período ovulatório, em função das características dos ciclos menstruais.

- Informação estatística, por exemplo sobre:
-Idade de início das relações sexuais, em Portugal e na UE;
- Taxas de gravidez e aborto em Portugal;
- Métodos contraceptivos disponíveis e utilizados; segurança
proporcionada por diferentes métodos; motivos que
impedem o uso de métodos adequados;
- Consequências físicas, psicológicas e sociais da maternidade
e da paternidade de gravidez na adolescênciae do aborto;
- Doenças e infecções sexualmente transmissíveis (como
infecção por VIH e HPV) e suas consequências;
- Prevenção de doenças sexualmente transmissíveis;
- Prevenção dos maus tratos e das aproximações abusivas.

Recomendamos ...

Arquivo do blog